Femicídio


Marido diz que matou mulher com 30 facadas após crise de ciúmes no AM

A vítima foi assassinada na frente dos quatros filhos. "Um crime brutal", disse delegada do caso

Assassino confesso, Augustinho se entregou à polícia
Assassino confesso, Augustinho se entregou à polícia | Foto: Suyanne Lima

Manaus - Augustinho Filho Rodrigues, de 32 anos, confessou que matou a própria esposa com quase 30 facadas na frente dos próprios filhos. Ele alega que cometeu o assassinato após uma crise de ciúmes da vítima, versão essa contestada pela família de Jacira Souza de Lima, de 32 anos, 

O crime aconteceu no último domingo (30), na comunidade Lago Preto, no Careiro Castanho (distante 102 quilômetros de Manaus. Augustino se apresentou na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na tarde de quarta-feira (2).

"Ele confessou a autoria com detalhes. Infelizmente esse crime brutal foi presenciado pelos quatro filhos do casal. Eles viram a mãe em uma situação deplorável, com as vísceras expostas, o que pode aumentar a pena dele em até 30 anos", explicou a delegada Marília Campello, da DEHS, durante coletiva na manhã desta quinta-feira (3).

Ainda conforme a delegada, um dos filhos do casal tentou intervir e ajudar a mãe. "Ele só parou de esfaquear a vítima porque ela conseguiu fugir e um dos filhos tentou segurá-lo, mas ele se esquivava. Porém, a mulher caiu em uma grama perto da casa. Moradores da comunidade ainda tentaram socorrê-la”, disse a delegada.

O suspeito, durante depoimento à polícia, ainda tentou colocar a culpa na vítima. Ele alega que a mulher deu início ao crime por conta de crises de ciúmes.

"Ele conta que a vítima colocou uma faca no pescoço dele e que não sabia se aquilo seria uma brincadeira de mau gosto ou se ela realmente ia tentar matá-lo. Ele teria tentando se livrar da faca e tentou tirar da mão dela, porém, nessa tentativa, ela cortou o antebraço esquerdo dele. Quando viu o sangue ficou enfurecido, pegou a faca e desferiu vários golpes na vítima", conta Marília Campello.

"É importante ressaltar que não foi a primeira vez que ela tinha sido agredida. Ela já tinha sofrido agressões várias vezes, mas não denunciou", detalhou.

A delegada salientou a importância de realizar a denúncia, mas, segundo ela, se separar do agressor tem que ser algo imediato também.

 “O mais importante que denunciar é se separar obviamente. Não adianta só denunciar e permanecer em vulnerabilidade, na mão do agressor. Ela (Jacira) nunca fez um Boletim de Ocorrência. Ele mesmo confessou que já havia a agredido algumas vezes”, conta.

Assassino nadou até Manaus

Após o crime, o assassino confesso fugiu e, conforme a delegada, veio nadando para Manaus. "Ele colocou umas roupas em uma sacola para não molhar, chegou em Manaus de manhã e se escondeu na casa do irmão", disse.

Família contesta versão do suspeito

De acordo com o advogado da família da vítima, Orandler, parentes deram outra versão sobre o assassinato.

 "Estamos falando de um crime premeditado. Um homicídio qualificado, um feminicídio que ainda tem um agravante, pois foi cometido na frente dos filhos. Segundo relatou a família, ele chegou em casa, trancou o quarto na qual a vítima dormia com os dois filhos de 8 e 3 anos e cometeu o crime desferindo quase 30 facadas", explicou.

Último contato com a família

Segundo a irmã de Jacira, Rosalima de Souza, um dia antes do assassinato a vítima relatou que estava passando por problemas com o marido. “Mana, eu não aguento mais. Ele quebrou tudo dentro de casa", disse a Jacira, conforme a irmã.

“Eu disse para ela que se fosse comigo tinha quebrado tudo na cabeça dele, mas ela relatou que tinha medo e temia pelos filhos. Ela passou muita necessidade quando morava com ele. Falava que não comia. Eu dizia para largar esse homem", disse Rosalima.

Procedimentos

Segundo a delegada, o homem encontra-se preso na DEHS até serem finalizadas todas as diligências. Outras versões, como as repassadas pela família, ainda serão apuradas. 

Leia mais: 

Homem que matou a esposa na frente dos filhos se apresenta à polícia

Mulher é morta pelo ex com quase 30 facadas no Careiro, interior do AM

Comissão da mulher vai acompanhar caso de feminicídio no Careiro