Crime


Mais de 60 pessoas sofreram importunação sexual nos ônibus em Manaus

Dados foram contabilizados entre janeiro e julho de 2020

Mais de 690 casos de importunação sexual foram registrados entre janeiro e julho de 2020
Mais de 690 casos de importunação sexual foram registrados entre janeiro e julho de 2020 | Foto: Reprodução

Manaus - Segundo dados do Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP), de janeiro a julho de 2020, foram registradas 68 ocorrências de pessoas que sofreram importunação sexual no transporte coletivo em Manaus. Apesar da aparente recorrência do crime, o índice deste ano é três vezes menor que o registrado no mesmo período de 2019 . 

No ano passado, foram contabilizadas 210 ocorrências dessa natureza. Durante todo o ano foram 327 casos foram registrados, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). 

Vítimas marcadas

A estudante universitária C. T. conta que inúmeras vezes precisou ter "jogo de cintura" quando alguém, mesmo tendo espaço no ônibus, chegou perto demais a ponto de se tornar importunação sexual. 

“Uma das vezes foi um senhor que ficou atrás de mim, sendo que tinha bastante espaço no ônibus. Eu já tinha me afastado para dar espaço para ele. Eu estava encostada naqueles ferros do ônibus e ele foi de novo pra trás de mim. Aí eu virei de frente e fiquei olhando para ele, só aí ele se afastou. Nessa semana, também, o ônibus estava lotado e tinha um rapaz se encostando demais. Eu consegui me afastar também. Não temos um dia de paz”, disse a estudante. 

A professora B.S., de 23 anos, conta que um dia após ter sido noticiada na mídia a fuga em massa de detentos do sistema prisional, um homem a importunou sexualmente e também fez ameaças contra ela. 

“Era 10h, estava indo para casa, pois só fui deixar algumas coisas na escola. O homem sentou na cadeira de trás, pegou na barra do meu vestido, veio no meu ouvido e falou que tinha uma arma dentro da caixa de picolé e que se eu não descesse com ele, iria usar ali. O ônibus estava quase vazio. Eu logo pensei que ele era um dos fugitivos. Quando o ônibus parou no Terminal 1, eu logo levantei e desci sem olhar para trás. Aproveitei que tinha muita gente esperando para entrar no ônibus. Nunca me esqueço desse dia”, relatou. 

O crime na prática

Em março deste ano, Wanderlan Ribeiro da Silva - de 48 anos - foi preso em flagrante após se masturbar dentro de um ônibus. O crime aconteceu enquanto o ônibus trafegava na Avenida Noel Nutels, no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus.

Homem foi preso após se masturbar em um ônibus do transporte coletivo
Homem foi preso após se masturbar em um ônibus do transporte coletivo | Foto: Reprodução

Após ser conduzido ao 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Wanderlan foi autuado em flagrante por importunação sexual. 

Campanha

No último dia 3 de agosto, o prefeito de Manaus - Arthur Virgílio - aprovou a Lei Municipal nº 2.646/2020, que visa o combate e a prevenção ao assédio sexual de mulheres no transporte público da capital. A ideia é que todos os ônibus tenham cartazes de conscientização, alertando que a importunação sexual é crime e incentivando cada mulher vítima de assédio a denunciar.

Entretanto, alguns usuários do transporte coletivo de Manaus afirmam os cartazes da campanha não são encontrados em todos os ônibus, como prevê a Lei.

Em relação a isso, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) informou que todas as empresas receberam orientação para fixar os cartazes. 

Usuários afirmam que cartazes da campanha não estão afixados em todos os ônibus da capital
Usuários afirmam que cartazes da campanha não estão afixados em todos os ônibus da capital | Foto: Reprodução

Já a Prefeitura afirmou que irá ressaltar às empresas, por meio do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), a importância da manutenção dos cartazes nos ônibus. A Prefeitura reforçou que foi ampliada a segurança das passageiras e usuárias dos terminais de integração da cidade, com rondas de segurança e orientações da Guarda Municipal, com o objetivo de identificar e denunciar casos de importunação sexual.

A campanha conta com a parceria da Ordem dos Advogados do Brasil no Amazonas (OAB/AM). 

A SSP recomenda que, em qualquer caso de importunação sexual, a vítima deve acionar a polícia imediatamente pelos números 190 e 180.

Leia mais:

Vídeo: homem é preso por se masturbar dentro de ônibus em Manaus 

Papo por elas: projeto debate importunação sexual 

Assédio sexual: qual crime foi praticado pelo abusador?