Crime passional


'Matei porque não queria vê-la com outros', diz assassino de Emilaine

O enfermeiro confessou que os dois começaram a ter um relacionamento aberto, mas ele passou a sentir ciúmes da jovem - que era livre e saía com outras pessoas

O suspeito chorou ao sair da delegacia para ir ao IML
O suspeito chorou ao sair da delegacia para ir ao IML | Foto: Divulgação


Manaus - O enfermeiro André Felipe Silva dos Santos,  de 28 anos, confessou, na tarde desta quinta-feira (8), que matou a designer de sobrancelhas, Emilaine de Souza Souza, de 19 anos. O crime foi motivado por ciúmes, de acordo com o delegado Charles Araújo. 

O titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) explicou à imprensa que André simulou uma viagem para o interior do Estado e voltou no dia do crime à quitinete, onde cometeu o crime premeditado. Ele teria passado a noite anterior na casa de um amigo.

"Emilaine ainda abriu a porta para ele, que ainda fingiu que havia desistido de viajar. Quando ele viu que ela estava indefesa, desferiu os golpes de arma branca que causaram a morte dela. André disse que o crime foi motivado por ciúmes, pois ele estariam mantendo um relacionamento aberto. Por conta disso, ela teria outros parceiros", explicou o delegado. 

Para fugir, o enfermeiro se escondeu em um bairro da capital e, posteriormente, viajou até Boa Vista do Ramos. Ele viajou com a faca utilizada no crime e disse que jogou o objeto no meio do rio.  

"Ele decidiu se apresentar aqui na delegacia acompanhado de um advogado e trouxe vários recibos utilizados como álibi. Nós já sabíamos que tudo era falsificado e que ele era o principal suspeito, tanto que já tínhamos o mandado de prisão temporária em nome dele. Ele recebeu voz de prisão e, ao saber que nós já sabíamos de tudo, acabou confessando o crime", declarou o delegado. 

Veja a entrevista com o delegado: 


Charles ainda informou à imprensa que uma colombiana e um idoso viram o momento que ele deixou o quitinete para fugir. André foi levado para exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e chorou ao caminhar da especializada até a viatura.  Para a imprensa, ele disse apenas: "Eu só quero pedir perdão, estou arrependido". 

Ele deve passar a noite do prédio da DEHS e deverá ser conduzido à Central de Recebimento e Triagem (CRT) na sexta-feira (9). Após a prisão dele, uma advogada da família de Emilaine compareceu na delegacia para solicitar informações do caso.

Veja o momento que o enfermeiro deixa a delegacia:

Suspeito chora ao deixar delegacia para ir ao IML | Autor: daniel landazuri