Casa de prostituição


Com anúncios em sites, menores eram exploradas sexualmente em Manaus

As adolescentes eram anunciadas em sites de encontros amorosos e exploradas sexualmente em uma casa de prostituição, que funcionava na Zona Norte de Manaus

No local, foram apreendidos maquinas de cartão de créditos, envelopes de depósitos bancários e preservativos.
No local, foram apreendidos maquinas de cartão de créditos, envelopes de depósitos bancários e preservativos. | Foto: Daniel Landazuri

Manaus - Duas adolescentes, ambas de 17 anos, foram resgatadas, na última quarta-feira (14), de uma casa de prostituição que funcionava na rua Shalon, no bairro Colônia Santo Antônio, Zona Norte de Manaus. As menores eram anunciadas em sites de encontros amorosos e exploradas sexualmente no local. 

Durante a ação da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) um homem, de 43 anos, que foi flagrando mantendo relações com uma das adolescentes, foi preso. A gerente do prostíbulo, uma jovem de 22 anos, também foi detida. 

Segundo a delegada Joyce Coelho, as menores pagavam até multas para poder se manter no estabelecimento.

Em depoimento, elas contaram que faturavam em torno de R$ 350 a R$ 400, mas pagavam uma diária e tinham dívidas na casa, provenientes de multas, que variavam de R$ 50 a R$ 70. Os valores eram descontados por cada infração.

As adolescentes atuavam no local há menos de dois meses. Um fato que chamou a atenção da equipe de investigação era que a casa de prostituição funcionava durante o dia.

A titular da Depca explicou que as famílias das menores não sabiam das práticas delas. "Uma delas mentiu para os pais dizendo que estava trabalhando em um restaurante. A outra conta que tem um filho e precisava sustentá-lo. Os responsáveis foram localizados e as menores devolvidas", disse Coelho. 

A ação policial

As equipes de investigação da Depca receberam informações de denúncias anônimas via 181.  Os policiais foram ao local e montaram campana nas proximidades da casa. Foi observado a movimentação de carros e pessoas em frente ao estabelecimento e, por volta de 16h, entraram no lugar. 

No momento da ação, estavam presentes 10 mulheres, três homens e as duas adolescentes, sendo que uma delas estava no quarto com o homem de 43 anos. 

No local, foram apreendidos máquinas de cartão de créditos, envelopes de depósitos bancários, dinheiro e preservativos.

Sem documentos de identidades, todos foram levados à delegacia. Ao ser confirmado as idades das vítimas, o cliente, que estava com a menor, e a responsável pelo estabelecimento receberam voz de prisão. 

A dona do imóvel, que estava alugado há sete meses, foi identificada e deve ser autuada, junto com os dois presos, pelo crime de favorecimento à prostituição ou outra foram de exploração sexual de crianças e adolescentes. 

Leia mais 

Polícia alerta para crimes de pedofilia no Amazonas

Infância na rua: crianças trabalham nas ruas do AM para ajudar família

Cresce violência sexual contra bebês e crianças até 12 anos no AM