Investigação


Quatro pessoas são presas por morte de subtenente da Marinha em Manaus

Os suspeitos arquitetaram a morte do subtenente após um acidente de trânsito. A mulher do militar escapou porque criminosos acharam que ela já estava morta

O militar morreu após perseguir o casal que dirigia o outro carro | Foto: Suyanne Lima/Arquivo Pessoal

Manaus - Aldison Pereira Mota, Dinielson Joaquim Ferreira de Oliveira e outras duas pessoas, sendo um homem e uma mulher de 24 anos, foram presas na manhã desta quinta-feira (15), em pontos distintos da comunidade Santa Marta, na Zona Norte de Manaus. Eles estariam envolvidos na morte do subtenente da Marinha, Sidney Fonseca de Jesus, de 46 anos. 

De acordo com o delegado Charles Araújo, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o crime aconteceu na madrugada do dia 5 de outubro deste ano, após a vítima se envolver em um acidente de trânsito.  Por vingança, Sidney acabou sendo atraído para uma emboscada.

"Dinielson foi preso em cumprimento a mandado de prisão temporária e Aldison preso em flagrante por tráfico de drogas. As outras duas pessoas foram detidas e serão indiciadas. No dia do crime, houve um acidente de trânsito no São Francisco, na Zona Sul, e a vítima passou a seguir o carro onde estava Dinielson e a mulher de 24 anos", explicou Araújo. 

O titular da DEHS disse que Dinielson assumiu ter ligado para os comparsas e atraiu a vítima até o local do crime, onde o subtenente e a esposa foram brutalmente agredidos. 

"A mulher do subtenente conseguiu sobreviver. Eles sofreram vários tipos de tortura. Aos descobriram que ele era militar, os suspeitos até exigiram que ele entregasse uma suposta arma, que não existia.  Infelizmente, o subtenente não resistiu aos ferimentos. Eles pensavam que a mulher também estava morta", contou Araújo. 

O carro utilizado por Dinielson no dia do acidente foi apreendido em uma oficina na Zona Norte . A PC acredita na participação de seis a oito pessoas no crime e as investigações irão prosseguir para identificar outros envolvidos. 

Procedimentos

Em razão do mandado de prisão, Dinielson deve ser levado para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá ficar à disposição da Justiça. Já Aldison passará por audiência de custódia pelo crime de tráfico de drogas e deve ser indiciado por homicídio, juntamente com as outras duas pessoas detidas.