Fonte: OpenWeather

    Violência


    Estupro e morte de bebê geram revolta no interior do AM; veja vídeos

    Segundo a polícia, um homem estuprou e matou a enteada de apenas 1 ano e 5 meses. O caso revoltou populares que destruíram a delegacia e viaturas de Barreirinha ao tentarem linchar o suspeito

    Dois manifestante foram mortos durante um conflito com a polícia.
    Dois manifestante foram mortos durante um conflito com a polícia. | Foto: divulgação

    Barreirinha - O pacato município de Barreirinha, a 331 quilômetros de Manaus, mais uma vez foi palco de um crime monstruoso e se transformou em um caos, na noite deste domingo (21), depois que populares tentaram invadir a unidade policial da cidade para linchar um homem que havia sido preso por estuprar e matar a própria enteada de apenas 1 ano e 5 meses. Segundo a polícia, a delegacia foi depredada e incendiada, duas viaturas foram destruídas e dois manifestante foram mortos durante um conflito com a polícia. 

    O padrasto, que não teve a identidade divulgada, foi salvo pela equipe policial, após ter sido preso na comunidade Terra Preta do Limão, localizada na área rural do município. 

    Depredação da 42ª DIP | Autor: Divulgação
     

    Revoltados com o caso, populares já esperavam pelo suspeito antes dele ser conduzido para a sede 42ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Barreirinha.

    Conforme as autoridades, durante a tentativa de invasão à delegacia, vândalos destruíram duas viaturas, atearam fogo e devastaram o prédio da 42ª DIP. A Polícia Militar foi acionada e durante o confronto com os manifestantes, pelo menos, uma pessoa acabou sendo baleada e morreu.  

    O incêndio causado na unidade policial foi controlado, e por questões de segurança, o suspeito foi encaminhado para a delegacia de Parintins, onde deve permanecer à disposição da Justiça.

    Polícia Civil vai investigar mortes de manifestantes | Autor: Divulgação
     

    Reforço

    De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), na noite de domingo (20/12), a PM enviou reforços para o município. Além disso, a Polícia Civil deve encaminhar esta semana uma equipe para investigar o crime e apurar a depredação do patrimônio público.

    Sobre as mortes dos manifestantes, a Polícia Civil informou que as circunstâncias em que ocorreram os fatos estão sendo apuradas.  

    Baixo efetivo policial no interior 

    Apesar do secretário de segurança pública, coronel Louismar Bonates, afirmar, em vídeo divulgado à imprensa, que a situação está sob controle, o baixo efetivo policial nas delegacias do interior do Amazonas não consegue reprimir ações de manifestantes e os casos de revolta popular têm tornado frequentes.

    Pronunciamento do secretário de segurança pública | Autor: Divulgação
     

    Em menos de uma semana, Barreirinha é o segundo município a ter delegacia invadida por populares revoltados. Na última quarta-feira (16),  criminosos encapuzados invadiram a unidade policial de Novo Aripuanã, a 227 quilômetros de Manaus. O grupo libertou presos e matou um dos suspeitos de ter assassinado, com 40 facadas, um comerciante. 

    Indígena estuprada, morta e enterrada em aldeia  

    No dia 23 de novembro, o corpo de uma menina indígena, de 5 anos, da etnia Sateré-Mawé, foi encontrado com sinais de estupro, em uma área de cultivo na aldeia Nova Vida, em Barreirinha. Um adolescente foi apreendido após confessar a autoria.

    Leia mais

    Suspeito de estuprar criança é esquartejado e carbonizado no Amazonas

    Homem é detido após causar acidente por dirigir embriagado na ZL

    Homem é morto durante assalto em salão no Cidade de Deus