Fonte: OpenWeather

    Acusação


    Kimberlly e Agatha: tia acusa mãe de vender meninas que sumiram no AM

    Segundo a tia das meninas, a mãe estaria repassando informações para o companheiro dela, que fugiu com as crianças, para entregá-las aos supostos compradores

    Kimberlly e Agatha desapareceram junto com o padrasto
    Kimberlly e Agatha desapareceram junto com o padrasto | Foto: Reprodução

    Manaus - A dona Elizandra Medeiros, tia de Kimberlly e Agatha dos Santos Pereira, de 12 e 8 anos, respectivamente, que estão desaparecidas desde a semana passada, acusou a própria irmã, mãe das garotas, que não teve o nome divulgado, de ter vendido as filhas. A tia das meninas realizou a denúncia contra a irmã nesta segunda-feira (28), durante entrevista ao vivo para uma TV local.

    Elizandra suspeita que a irmã tenha comercializado as próprias filhas para traficantes, pois a mulher seria usuária de drogas. 

    “Eu sei que é a minha irmã, é muito duro eu ter que falar isso, mas toda a nossa família acredita que ela vendeu as próprias filhas. Nós já percebemos que ela passa as informações para o companheiro dela, que fugiu com as crianças, e provavelmente vai entregá-las para alguém”, acusou Elizandra à imprensa.

    De acordo com as investigações que apuram o caso, Kimberlly e Agatha foram passar as festas de fim de ano com a mãe, no ramal Bons Amigos, localizado no KM 26 da BR-174, zona rural de Manaus, onde desapareceram. No entanto, conforme a tia das meninas, a irmã teria premeditado a venda das filhas, dias antes de recebê-las no local em que ela mora.

    Elizandra ressaltou que a mãe das crianças tem agido de forma estranha, desde que as meninas desapareceram, demostrando indiferença com o caso. Por fim, a tia das meninas destacou que compareceu à Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), para formalizar a denúncia contra a irmã.

    Polícia Civil não se pronuncia sobre relatos de tia

    O portal Em Tempo questionou a assessoria de imprensa da Polícia Civil sobre as acusações da tia das meninas desaparecidas. O órgão informou apenas que as investigações seguem em andamento, mas não se pronunciou sobre as declarações da tia das meninas. 

    As meninas teriam sido vistas em Manacapuru

    Segundo informações recebidas pela família, as duas meninas teriam sido vistas no município de Manacapuru, a 98 quilômetros de Manaus, na última quinta-feira (24), acompanhado do padrasto, em uma moto. 

    Bombeiros interrompem buscas

    O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) informou que as buscas foram interrompidas no domingo, pelo fato de que há relatos desencontrados sobre o caso, desde que as buscas tiveram início, na última quinta-feira (24).

    A corporação afirmou que são necessários novos trabalhos investigativos que sustentem o desaparecimento das vítimas em meio da selva.

    Diante da ausência de informações mais precisas e, em que há um notório conflito familiar, a equipe os Bombeiros permanecem em prontidão, aguardando o desenrolar das investigações.

    Relembre o caso

    Kimberlly e Agatha desapareceram junto com o padrasto, um homem identificado como Cleberson Santos, de 38 anos. Os três foram vistos pela última vez caminhando próximo a igarapé do ramal Bons Amigos, localizado no KM 26 da BR-174, zona rural de Manaus, conforme informou a família.

    Leia mais

    Cinco pessoas desaparecem após naufrágio no Amazonas

    Desaparecido após acidente, corpo de idoso é achado no Rio Negro

    Motorista de aplicativo desaparece e família pede ajuda