Fonte: OpenWeather

    Estupro de Vulnerável


    Adolescente é investigado por estuprar irmã de 8 anos em Manaus

    O caso foi denunciado pela mãe da criança e do adolescente. Ele deve responder ao ato infracional

     

    O caso foi denunciado na Deaai
    O caso foi denunciado na Deaai | Foto: iStock

    Manaus - A equipe da Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), sob a coordenação da delegada Elizabeth de Paula, titular da Especializada, deu início a uma investigação para apurar ato infracional análogo ao crime de estupro de vulnerável, cometido por um adolescente de 13 anos contra a própria irmã de 8 anos.

    De acordo com a delegada, os abusos teriam iniciados no dia 25 de janeiro deste ano e eram praticados na casa deles, na Zona oeste de Manaus.

    A mãe da vítima e do adolescente compareceu na Deaai, na segunda-feira (8 ), para formalizar a denúncia, após tomar conhecimento dos abusos sexuais praticados pelo próprio filho.

    “O que nos motivou a prosseguir com a investigação foi o relato de que a vítima estaria pedindo para a mãe não ir trabalhar, pois não queria ficar com o irmão, que cuidava dela no período da tarde. Então, a genitora questionou a filha, que relatou ter sido abusada duas vezes e em uma das ocasiões o adolescente teria gravado o ato, que ficou registrado no aparelho celular do adolescente. Fato esse averiguado pela mãe”, comentou a delegada.

    A vítima foi acolhida no departamento de psicossocial da Deaai e encaminhada para o Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (Savvis).

    “Solicitamos que o menor infrator fosse afastado do lar, o que foi providenciado pela genitora, e encaminhamos o caso ao Ministério Público do Amazonas (MP-AM), que está ciente do distanciamento dos irmãos. A situação ainda está sendo acompanhada pelo Conselho Tutelar, visando a proteção integral da criança”, finalizou Elizabeth.

    A autoridade policial ressalta que nesses casos, a Especializada tem tomado bastante medidas cautelares, sobretudo solicitando Medidas Protetivas de Urgência, que têm sido prontamente atendidas pelo Judiciário em compasso com o MP-AM.


    *Com informações da assessoria