Fonte: OpenWeather

    Violência contra a mulher


    Advogado é suspeito de tentar matar ex-namorada no Aleixo, em Manaus

    Em depoimento à polícia, a vítima contou que foi sequestrada, ameaçada e quase foi estrangulada até a morte

     

    O suspeito irá se apresentar para responder às acusações
    O suspeito irá se apresentar para responder às acusações | Foto: AET

    MANAUS - Uma jovem de 22 anos sofreu violentamente nas mãos do ex-namorado, um advogado de 40 anos, na tarde deste domingo (21). Ela foi sequestrada, ameaçada e quase foi estrangulada até a morte pelo rapaz. O caso ocorreu no bairro Aleixo, zona Centro-Sul da capital.

    Em depoimento à Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), a vítima relatou que na tarde daquele mesmo dia havia recebido uma ligação do ex-companheiro, na qual ele teria avisado que a jovem estaria sendo perseguida por um homem armado, e que ela seria baleada, caso não fosse até a residência dele.

    Já em frente ao imóvel do advogado, o suspeito teria entrado no veículo da vítima, e a estrangulado. A agressão foi tão forte, que a jovem desmaiou e ficou com escoriações profundas no pescoço. Além disso, o advogado teria furtado o celular da vítima.

    Ainda muito abalada, a jovem procurou a polícia ainda na noite de domingo para registrar Boletim de Ocorrência (BO). A delegada Débora Mafra, titular da Especializada, informou que foi requisitado o exame de corpo delito na vítima. Além disso, a delegada destacou que o advogado do suspeito compareceu à unidade policial e informou que irá apresentar o seu cliente para que ele possa responder ao inquérito.

    O que diz o acusado

    Em nota, a defesa do advogado negou as acusações da ex-companheira e informou que deve dar a sua versão dos fatos no prazo de 48 horas. Confira, na íntegra, a nota do acusado:

    Os escritórios de advocacia, Dr Adilson Nery e Dra Iracema Pedrosa, vem por meio desta nota representando os interesses do acusado, informar que o mesmo irá dar sua versão dos fatos envolvendo seu nome após o prazo legal de 48 horas, desde já a defesa antecipa que as acusações sobre o mesmo não condizem com a realidade e serão devidamente refutadas, o advogado teve o seu dedo esquerdo mordido pela suposta acusadora e está com hematomas sérios na mão direita.

    O mesmo afirma categoricamente que não houve nenhum tipo de agressão, tanto é que a acusadora não possui nenhum hematoma no rosto, apenas defendeu-se afastando a vítima que não parava de atacá-lo, configurando assim a excludente de ilicitude denominada legitima defesa, o que na verdade foram vias de fato, o advogado afirma ainda que estava sendo vítima de extorsão por parte da filha e da genitora que toda semana lhe pediam valores pecuniários, tudo isso será devidamente explicado, confiando na justiça e nos seus direitos. Atenciosamente, Dr Adilson Nery, OAB4124" 

    Leia mais

    Em mensagens, menina de 10 anos relata estupro que sofreu do avô no AM

    Um terço das mulheres sofre violência física ou sexual, diz OMS'

    Faltam políticas públicas de amparo às mulheres', diz Débora Mafra