Fonte: OpenWeather

    Ação policial


    Em Manaus, dupla é presa por desviar asfalto da prefeitura

    Segundo a Seminf, o material pode ser utilizada para recapear até dez ruas da capital

     

    Servidor público está envolvido no caso
    Servidor público está envolvido no caso | Foto: Divulgação/PCAM

    MANAUS - Dois homens foram presos, incluindo um servidor público, na tarde desta sexta-feira (23), após serem flagrados desviando cerca de 20 toneladas de massa asfáltica do Distrito de Obras da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus. De acordo com as autoridades, o material está avaliado em R$9 mil.

    Segundo a Delegacia Especializada em Combate à Corrupção (Deccor), as investigações em torno do esquema tiveram a colaboração da Casa Militar, órgão ligado à administração municipal. Nesta manhã (23), uma equipe da Polícia Civil montou campana, próximo ao Distrito de Obras, para flagrar o desvio da massa asfáltica.

      "Primeiro, nós observamos a chegada de dois caminhões da prefeitura despejando a massa asfáltica no local e em seguida, notamos a entrada de um outro caminhão, que começou a recolher a massa asfáltica. Nós interceptamos a carga e descobrimos que o material seria desviado e já teria sido até negociado clandestinamente", explicou o delegado.  


    O motorista do trator, identificado como Manuel Valério, que estava colocando o material no caminhão, e o funcionário de uma empresa privada, Benedito Machado Morais, foram levados à delegacia. Em depoimento, o motorista informou que não sabia do esquema e só cumpria ordens e, por isso, será investigado em liberdade.

    Já Benedito foi autuado em flagrante por peculato e ao término dos procedimentos, deverá ser encaminhado à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde passará por audiência de custódia.

    Esquema

    De acordo com as investigações que apuram o caso, a maioria dos asfaltos desviados são comercializados clandestinamente a responsáveis por condomínios privados, especialmente os que estão localizados no bairro Tarumã, na Zona Oeste da Capital.

    "Há muitas outras pessoas envolvidas nesse caso, nós já temos alguns nomes no nosso radar, que ainda não podemos divulgar. Por isso, as investigações irão continuar, com o objetivo de prendermos todos os membros desse esquema criminoso", afirmou o titular da DECCOR. 

    Conforme o subsecretário de serviços básicos da Seminf,  Engleuson Santiago, o material que seria desviado pode ser utilizado para recapear até dez ruas da capital. 

    Leia mais

    Manifestante denuncia agressão da PM em ato contra Bolsonaro

    Vídeo: manifestante contra Bolsonaro é agredida por policial em Manaus

    Vídeo: suspeito lava sangue do corpo após matar desafeto em Manaus