Fonte: OpenWeather

    homicídio


    Prefeituras do AM farão translados de corpos de jovens mortas em SP

    As prefeituras de Manaus e Manaquiri pagarão as despesas com o traslado do corpo de Cláudia e Júlia, mortas em São Paulo

     

    A família, que não tem condições financeiras, teve o pedido atendido diante da gravidade da situação
    A família, que não tem condições financeiras, teve o pedido atendido diante da gravidade da situação | Foto: Divulgação

    Manaus - As mortes de duas jovens que até o momento segue sem explicações e autores, marcaram famílias do Amazonas que desejam enterrar de forma digna seus parentes. 

    A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), vai pagar as despesas com o traslado do corpo de Cláudia Cristina Pinto Menezes, 35, uma das duas jovens encontradas mortas em Itapecerica da Serra (SP), após 12 dias desaparecidas.

    A família, que não tem condições financeiras, teve o pedido atendido diante da gravidade da situação. Conforme a irmã da vítima, Eliana Pinto, a liberação do corpo só foi possível porque um amigo da família, que mora em São Paulo, apresentou uma autorização enviada pelos parentes ao Instituto Médico Legal (IML) Sul, em São Paulo.

     

    Claudia Cristina, 35 anos
    Claudia Cristina, 35 anos | Foto: Divulgação
    "

    Não temos recursos. Nunca poderíamos prever que isso aconteceria com a minha irmã. Nossa única alternativa foi procurar a prefeitura, e que bom que o nosso pedido foi atendido "

    Eliana Pinto, Irmã da vítima

     

    O serviço SOS Funeral, realizado pela Semasc, oferece urna funerária, velório, cortejo e liberação de taxas cartorárias, mas, por determinação do prefeito David Almeida, uma funerária foi contratada para fazer o traslado do corpo para sepultamento em Manaus.

    "

    Entramos com todos os encaminhamentos possíveis. Contratamos uma empresa para fazer esse translado, pois a situação, além de chocante, deixou a família muito abalada pela perda. Vamos dar todo o apoio necessário "

    Jane Mara, secretária da Semasc

     

    Natural de Manaus, Cláudia estava em São Paulo há três meses e deixa um filho de 9 anos. A amiga Júlia Renata Garcia Rafael, de 26 anos, que também foi encontrada morta, é natural de Manaquiri e terá o corpo transladado pela prefeitura daquele município.


     

    Júlia Renata, 25 anos
    Júlia Renata, 25 anos | Foto: Divulgação

    Saiba sobre o caso

    As jovens Julia Renata Garcia Rafael, de 25 anos, e Claudia Cristina Pinto Pereira, de 35 anos, ambas de Manaus, estavam desaparecidas desde a madrugada do último dia 3 de junho, último feriado de Corpus Christi.

    As jovens foram vistas pela última vez num baile funk no bar Paraíso na Laje, em Paraisópolis, zona sul de Guarulhos, São Paulo. As duas residem em Guarulhos, mas possuem família na capital manauara.

    A Polícia Civil de São Paulo confirmou que os dois corpos localizados no acostamento do quilômetro 48 do Rodoanel Mário Covas, na terça-feira (15), são das amigas do Amazonas que estavam desaparecidas em Paraisópolis.

    Após sites de notícias afirmarem que a Prefeitura de Manaus seria a responsável pela contratação da funerária que faria a remoção e o translado dos corpos das duas manauaras encontradas mortas em São Paulo, a Secretaria de Comunicação Social (Semcom)  negou a informação, no início da tarde desta quarta-feira (16).


    *Com informações da assessoria 

    Leia mais

    Corpos localizados em SP são de amigas desaparecidas do AM

    Prefeitura de Manaus nega que fará translado de jovens mortas em SP

    Amigas de Manaus desaparecem após festa em SP e famílias pedem ajuda