Fonte: OpenWeather

    Fugitivos


    Bandidos de alta periculosidade seguem livres após fuga em massa no AM

    Em 2018, 35 detentos fugiram em um túnel da unidade prisional CDPM 2, entre eles os narcotraficantes 'Mano Kaio' e 'Sandrinho'

     

    Entre os foragidos estão 'Sandrinho' e 'Mano Kaio'
    Entre os foragidos estão 'Sandrinho' e 'Mano Kaio' | Foto: Divulgação

    MANAUS - Não houve motim, tampouco grandes estardalhaços, mas apesar da aparente tranquilidade da manhã do dia 12 de maio de 2018,  35 presos conseguiram fugir do Centro de Detenção Provisório 2 (CDPM 2), localizada na BR-174, em uma área distante da zona urbana de Manaus. Os detentos consumaram silenciosamente uma rota de fuga que iniciava em um túnel, construído no Pavilhão 5, com acesso à área externa da unidade prisional. Dois anos depois, nove deles seguem foragidos.

    Àquela altura, poucos poderiam imaginar, mas um dos fugitivos, Kaio Wuellignton Cardoso dos Santos, o “Mano Kaio”, seria responsável por uma sequência de homicídios de rivais e, mais recentemente, mandante de ataques a prédios públicos da capital e de municípios do interior do Amazonas.

     

    Ônibus foram destruídos durante ataques do CV, no inicio do mês
    Ônibus foram destruídos durante ataques do CV, no inicio do mês | Foto: Divulgação

    Na época, as autoridades informaram que os fugitivos seriam aliados do narcotraficante Gelson Carnaúba, o “Mano G”, e teriam escapado da cadeia para ajudá-lo na disputa do Comando Vermelho (CV) contra a então dominante Família do Norte (FDN). 

      Foi justamente o confronto entre as duas organizações criminosas que transformaram bairros como Compensa, zona Oeste, e Jorge Teixeira, zona Leste, em campos de batalha a céu aberto. Em janeiro de 2020, quando o CV começou a avançar sobre áreas controladas tradicionalmente por lideranças da facção amazonense, Manaus bateu recorde de homicídios em um único mês.  

    Até hoje, 26 dos fugitivos já foram recapturados. Enquanto isso, além de ''Mano Kaio'', alvo de uma megaoperação no último mês, Alexssandro Oliveira, o ''Sandrinho'', Adalberto Salomão, Igor Fernando da Silva, Izaque Francisco, Johnson Alves, Cristiano Castro, Moisés da Silva Lira e Pedro Ramos de Carvalho seguem sendo procurados pela polícia.

    'Mano Kaio'

    Kaio Wellignton ganhou notoriedade entre traficantes de drogas do Amazonas, depois que passou a integrar a FDN. Um dos primeiros crimes notórios atribuídos a ele foi o assassinato de 'Frankizinho do 40', em 2013, cujo corpo foi encontrado dentro de uma mala, na Praia da Ponta Negra, zona Oeste da capital.

     

    O foragido 'Mano Kaio'
    O foragido 'Mano Kaio' | Foto: Divulgação

      Após trocar a FDN pelo CV, "Mano Kaio" está escondido no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio de Janeiro, desde que fugiu da prisão. Além de chefe do tráfico amazonense e apontado como o mandante da morte de mais de 60 pessoas, Kaio Wellignton teria sido o responsável por ordenar os ataques em série de membros do CV ao patrimônio público de Manaus e de outras cidades do interior do estado, no último mês.  

    Os atos de vandalismo foram desencadeados após a morte do conselheiro do CV, Erick Batista Costa, conhecido como 'Dadinho', durante confronto com a polícia, nas vésperas. No dia 18 de junho, uma megaoperação deflagrada pela Polícia Civil dos estados do Amazonas, Rio de Janeiro e Pará tinha como o principal objetivo a prisão de 'Mano Kaio', mas os agentes não conseguiram localizá-lo, e ele segue foragido.

     

    Policiais em ação no Rio de Janeiro
    Policiais em ação no Rio de Janeiro | Foto: Divulgação

    Antes de fugir do CDPM 2, Kaio tinha sido preso durante uma operação conjunta entre as polícias do Amazonas e do Rio de Janeiro, em agosto do ano de 2018, na Região dos Lagos (RJ).

    'Sandrinho'

    Segundo as investigações, Alexssandro Oliveira é apontado como o gerente do tráfico de drogas nos bairros São Jorge e Vila da Prata,  ambos na zona Oeste de Manaus. O narcotraficante também é suspeito de ter sido o autor ou mandante de mais de 15 assassinatos registrados na capital.

     

    Alexssandro Oliveira segue foragido
    Alexssandro Oliveira segue foragido | Foto: Divulgação

    Um dos assassinatos é do casal Glauciney Oliveira do Carmo, o “Glau”, e Daiane Souza Pimentel,  O crime aconteceu no dia 17 de julho de 2012, no estacionamento do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. Na época, Glau era chefe do tráfico de drogas no São Jorge, e Alexssandro confirmou o crime à polícia, afirmando que teria cometido o crime para vingar a morte do irmão e da sobrinha de apenas 6 meses de idade, supostamente assassinados por Glaucinei. 

    'Playboy'

    Outro foragido de alta periculosidade é Johnson Alves Barbosa, o “Playboy”, sobrinho de José Roberto Barbosa, o "Zé Roberto da Compensa". Ele é acusado de comandar grupos de extermínio e tráfico de drogas, tendo ainda ligação com a morte de Frankzinho do 40.

    O que diz a SSP

    A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) informou que as investigações em torno das organizações criminosas seguem em andamento e não são divulgadas para não interferir no trabalho policial, e os foragidos seguem sendo procurados pela polícia. 

    Leia mais:

    Entenda como atua a 'Zona Franca' do narcotráfico no Amazonas

    Três homens são presos com droga avaliada em mais de R$ 400 mil no AM

    Mais de 340 são presos por tráfico somente este ano em Manaus