Fonte: OpenWeather

    Sem informações


    Amazonense desaparece após viajar para trabalhar em Santa Catarina

    Ana Vitória Campos Pinheiro, 23, que está desaparecida desde o dia 11 de maio deste ano

     

    Ana Vitória Campos Pinheiro, 23.
    Ana Vitória Campos Pinheiro, 23. | Foto: Divulgação

    Manaus - A amazonense Ana Vitória Campos Pinheiro, 23, está desaparecida desde o dia 11 de maio deste ano, quando saiu da casa onde mora, no bairro São José Operário, zona leste, para viajar para a cidade de Joinville, em Santa Catarina.

    De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO) registrado no 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e,  posteriormente, transferido à Deops, o pai de Ana, Handerson Pinheiro Soares, 44, informou que a jovem relatou que havia conseguido uma vaga de emprego na cidade catarinense.

    O pai ainda contou à polícia que acompanhou a filha até ao aeroporto e, ao chegar na cidade, ela enviou fotos e vídeos de onde estava, mas desde então, os familiares não tiveram mais contato com ela.

    Contato

    A delegada titular da Delegacia Especializada em Ordem Política e Social (Deops), Catarina Torres, solicita a quem tiver informações sobre a localização de Ana que entre em contato com a Deops por meio do número (92) 3214-2269, ou pelo 181, o disque-denúncia da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM).

    A Deops está situada nas dependências do 12° Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Avenida Professor Nilton Lins, Conjunto Parque das Laranjeiras, bairro Flores, zona centro-sul da cidade.

    Amazonas terá banco de DNA de familiares de pessoas desaparecidas

    Desde de maio deste ano, o Amazonas conta com um banco de DNA com dados de familiares de desaparecidos, criado pela Secretaria de Segurança Públicas do Amazonas (SSP-AM). A medida faz parte da Campanha Nacional proposta pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, que está sendo lançada em todo o país.

     De acordo com o titular da SSP-AM, Luismar Bonates, o início da coleta de sangue será a partir do dia 14 de junho, pelo Instituto de Criminalística. A coleta vai acontecer em um ponto de atendimento específico para esses familiares no prédio do próprio Instituto, localizado no bairro Cidade Nova, Zona norte de Manaus.  

    “O Banco de dados ficará disponível nacionalmente. O familiar interessado em fazer esse cadastro do seu parente desaparecido deve comparecer voluntariamente ao anexo do IML, no Instituto de Criminalística, na Cidade Nova, onde será coletado a amostra de sangue e solicitado outras informações sobre o desaparecido”, explicou Bonates. 

    Além da coleta de sangue como amostra de DNA, o Instituto de Criminalística também vai coletar alguns informações dos desaparecidos, como a data do desaparecimento, roupas que utilizou pela última vez que foi visto.

    Conforme os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), de janeiro a dezembro do ano passado, as delegacias de Manaus receberam 81 notificações de desaparecimento de crianças e adolescentes. Neste ano, até abril, já foram registrados 25 casos. A maioria é meninas da faixa etária de 12 a 17 anos, com o equivalente a 60% do total.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais: 

    Barbeiro desaparece após sair do trabalho em Manaus

    Vidente fala em vídeo: “Avião vai cair se Gabigol embarcar”; veja

    Corpo do segundo adolescente é encontrado em igarapé de Manaus