Fonte: OpenWeather

    Operação Policial


    Estupro de vulnerável: 29 são presos na operação "Acalento" no AM

    Foram realizadas 937 ações preventivas e repressivas, 120 Inquéritos instaurados, 91 Inquéritos concluídos, 29 prisões e 11 autos de prisão em flagrante

     

    O objetivo da operação é combater crimes de violência contra crianças e adolescentes
    O objetivo da operação é combater crimes de violência contra crianças e adolescentes | Foto: PC-AM

    Manaus - Crimes de estupro de vulnerável são registrados quase que diariamente na capital amazonense e demais cidades do Amazonas. 

    Equipes da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), deflagraram na manhã da última sexta-feira (16), por volta das 6h, a operação “Acalento”, que culminou no cumprimento de dois mandados de prisão em sentença condenatória pelos crimes de estupro de vulnerável.

      As prisões ocorreram no bairro São José operário e no Conjunto Riacho Doce, bairro Cidade Nova, nas zonas Leste e Norte de Manaus, respectivamente.  

    A operação “Acalento” faz parte de uma operação inédita, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), com o objetivo de combater crimes de violência contra crianças e adolescentes nos 26 estados e no Distrito Federal, e teve início no dia 4 de junho. 

    Durante a coletiva de imprensa realizada no prédio da Delegacia Geral (DG), a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, informou que na cidade de Manaus, foram realizadas 937 ações preventivas e repressivas, 120 Inquéritos Policiais (IPs) instaurados, 91 Inquéritos Policiais (IPs) concluídos, 56 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs), 29 prisões e 11 autos de prisão em flagrante. 

    Em relação as prisões ocorridas nesta sexta-feira, a delegada relatou que um idoso de 61 anos foi preso na rua Garça Real, bairro São José Operário, zona leste, pelo estupro de vulnerável que teve como vítimas duas meninas, sendo uma de 10 e outra de 11 anos de idade, ocorrido em 2011. 

    "

    Na época do fato, as vítimas eram enteadas dele e os abusos aconteciam na casa da família localizada no bairro Flores, zona centro-sul. O infrator cometeu os atos libidinosos contra elas em diversas ocasiões, e em uma das situações, o homem foi flagrado abusando da criança de 10 anos, momento em que foi realizada a denúncia na Depca "

    Joyce Coelho, Delegada da Depca

     

    Diante dos fatos, foi solicitado à Justiça pelo mandado de prisão em razão de sentença condenatória em nome do homem e a ordem judicial foi expedida no dia 20 de abril deste ano, pelo juiz Ian Andrezzo Dutra, da 1ª Vara Especializada em Crimes Contra Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes. Ele irá cumprir 14 anos de reclusão em regime fechado. 

      A autoridade policial relatou que, na época do delito, a mãe do menino tinha um comércio no local, e o homem se aproveitou do momento em que a criança foi ao banheiro e o violentou mediante violência.  

    “O infrator já tem passagens pela polícia e responde a processos por tráfico de drogas, ameaça, lesão corporal, estupro e estupro de vulnerável. Ele foi condenado a 22 anos, cinco meses e 24 dias de reclusão em regime fechado”, comentou a delegada. 

    Diante dos fatos, foi solicitado pelo mandado de prisão em razão de sentença condenatória no dia 10 de março deste ano, pela juíza Patrícia Chacon de Oliveira Loureiro, da 1ª Vara Especializada em Crimes Contra Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes. 

    Procedimentos

    Os dois homens foram conduzidos à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde permanecerão à disposição da Justiça.

    Veja a coletiva de imprensa em que foi apresentado o balanço da operação:


    *Com informações da assessoria

    Leia Mais

    Criminoso sequestra e estupra criança dentro de carro em Manaus; vídeo

    Criança de 9 anos vivia ‘casada’ e era estuprada pelo primo em Manaus

    Influencer que agrediu filho responderá processo em liberdade no AM