Fonte: OpenWeather

    Golpe


    Amazonense é suspeita de aplicar golpe de venda de carros em São Paulo

    A amazonense identificada como "Aline" aplicou o golpe avaliado em R$ 6,5 mil

     

    A estelionatária ofereceu um Fiat 2000 verde para a família
    A estelionatária ofereceu um Fiat 2000 verde para a família | Foto: Divulgação

    Uma amazonense é suspeita de participar de uma quadrilha que aplicou o golpe de venda de carros, que teve como vítima Susana Barbosa de Lima, de 38 anos, moradora de Caraguatatuba, no Litoral Norte de São Paulo. 

      Segundo informou Susana, tudo começou quando viu o anúncio de um carro em um grupo de vendas no nas redes sociais. A falsa vendedora, que se identifica como "Maria Silvério", divulgou que o carro modelo Fiat Palio 2000, cor verde, estava a venda por R$ 7,5 mil. A vítima ficou interessada e iniciou a conversa com a golpista, que decidiu fechar a venda por R$6,5 mil.  

    O carro realmente estava a venda, mas não pelo perfil falso que anuncia na internet, e sim por um vendedor ambulante, que também estava sendo enganado pela suposta "Maria Silvério".

      O Portal Em Tempo teve acesso aos áudios e conversas sobre as negociações entre ambas as vítimas. A criminosa afirmou para Susana que o carro estava no nome de um tio e que ele estava dando o carro para ela como o pagamento de uma dívida, e por isso que ele era o proprietário do veículo nos documentos, e não ela. Enquanto para o idoso, ela disse que queria comprar o carro para uma cliente, que seria a Suzana.  

    A estelionatária, então, fechou negócio com as vítimas - de suposta venda e compra - e intermediou a entrega do carro entre os dois em uma rodoviária. Mas antes disso, "Maria" pediu o pagamento, que prontamente foi feito por Suzana.

    Chegando lá, Suzana e o idoso, começaram a estranhar a situação quando a esposa do vendedor ambulante questionou o pagamento da compradora, que estava achando estranho a mulher não ter depositado ainda.

    Suzana desconfiou, pois já havia feito o depósito do dinheiro. Nesse momento eles começaram a ligar os fatos e perceberam que estavam sendo enganados.

      Susana conseguiu todas as informações pessoais da suposta participante do golpe e entre elas, o contato da mãe de "Aline". A vítima falou com a mulher que não acreditou que a filha pudesse ter feito isso, e bem emocionada, afirmou que daria um jeito de pagar o dinheiro, apesar de não ter muitos bens e estar passando por diversos problemas de saúde.  

    A vítima chegou a compartilhar o golpe nas redes sociais e teve mais de mil compartilhamentos, além de outras pessoas afirmarem que haviam falado com a mulher também e que poderiam ser enganadas.

    Além disso, a foto que "Maria" usava em seu perfil era de uma psicóloga do Guarujá, que por meio da publicação, percebeu que a sua foto estava usando para aplicar golpes.

    Por recomendação do seu advogado, Susana apagou a postagem. 

    Conta bancária no nome de amazonense

     

    Ela fez um Boletim de Ocorrência na delegacia da cidade
    Ela fez um Boletim de Ocorrência na delegacia da cidade | Foto: Divulgação

    A vítima registrou Boletim de Ocorrência (B.O) na delegacia da cidade Caraguatatuba, mas também começou investigações por conta própria. Ela descobriu que a pessoa para qual ela transferiu o dinheiro, identificada como "Aline", era uma amazonense. 

    Susana conseguiu todas as informações pessoais da suposta participante do golpe e entre elas, o contato da mãe de "Aline".

    Consequências para a vítima 

    O golpe afetou duramente a vida de Susana. Ela está desempregada e com um grave problema de saúde. Ela precisou vender outro carro para obter o veículo do golpe. A vítima sofre com um enfisema pulmonar.

    A necessidade da família era de um veículo maior, que seria como um investimento para que seu marido pudesse usar o carro para trabalhar. 

    Agora, após o golpe, a família sobrevive com a ajuda da mãe de Susana e ainda possuem o risco de perder a casa em que eles moram há mais de cinco anos. Ela conta que está passando necessidade por conta do crime que sofreu. 

    "Por conta desse golpe não temos onde morar e ainda estou doente. Nem carro e nem dinheiro temos mais. Estamos passando necessidade, realmente precisando de ajuda", finaliza a vítima, que clama por justiça e devolução do valor. 

    Leia mais: 

    'Barbie do Crime' se entrega à polícia após aplicar mais de 100 golpes

    Após ter foto divulgada na TV, estelionatária é presa em Manaus

    Presa estelionatária que fingia ser membro de associação de autismo