Fonte: OpenWeather

    Homicídio


    Mandante de homicídio é preso pela PC em Iranduba

    A vítima foi espancada até a morte

     

    A prisão foi por meio das equipes da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP)
    A prisão foi por meio das equipes da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) | Foto: Divulgação

    Iranduba (AM)- Flávio da Silva Bayma, de 38 anos, foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado nesta quarta-feira (25/08), por volta das 15h. Ele é apontado como mandante da morte de Leonardo Zanes de Souza, ocorrida no dia 31 de março deste ano, naquele município. A prisão foi por meio das equipes da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP).

      De acordo com o delegado Raul Augusto Neto, titular da unidade policial, a prisão do infrator ocorreu na Abacaxi, bairro Alto, em Iranduba. Segundo a autoridade policial, Flávio é investigado como mandante do homicídio da vítima, após Leonardo ter furtado sua esmerilhadeira.  

    “O indivíduo pediu a traficantes que atuam naquela área, que dessem um ‘corretivo’ em Leonardo. Sendo assim, os infratores abordaram a vítima no momento em que este estava em um ponto de venda de drogas, local onde foi espancado até a morte com socos, pauladas e chutes”, relatou o delegado. 

    Ainda segundo o titular da 31ª DIP, um mandado de prisão em nome de Flávio foi solicitado à Justiça e a ordem judicial foi expedida no dia 8 de julho deste ano, pela juíza Dinah Câmara Fernandes, da 2ª Vara de Iranduba. “Com a ordem judicial decretada, seguimos até à casa do infrator e efetuamos a sua prisão”, disse o delegado. 

    Procedimentos

    Flávio responderá pelo crime de homicídio qualificado. Após os procedimentos cabíveis, o autor permanecerá custodiado na carceragem da 31ª DIP, à disposição da Justiça.

    *Com informações da assessoria

    Leia Mais

    Acusado de matar esposa a facadas é condenado a 18 anos de prisão

    Homem é jogado de carro e executado no meio da rua em Manaus

    Após 11 anos, suspeito do assassinato de Eliza Samudio vai a júri