Fonte: OpenWeather

    Caso de estupro


    Coren-AM apura caso de estupro de técnico de enfermagem contra grávida

    A vítima procurou a delegacia e registrou o caso. Ela passou por exames de corpo de delito, que comprovaram o estupro, mas o acusado ainda não foi preso

     

    O Coren-AM já iniciou todo procedimento legal para que o processo ético seja instaurado
    O Coren-AM já iniciou todo procedimento legal para que o processo ético seja instaurado | Foto: Divulgação

    AMAZONAS (AM)- A equipe técnica do Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren-AM) está no município de Itacoatiara para dar seguimento na apuração dos fatos sobre o caso do técnico de enfermagem, acusado de estuprar uma jovem grávida de 24 anos durante internação no hospital da cidade.

    O Coren-AM já iniciou todo procedimento legal para que o processo ético seja instaurado, e nesta quarta-feira (3) esteve presente no Hospital José Mendes para realizar o levantamento detalhado das informações necessárias.

    A comitiva técnica formada pelo Presidente do Coren-AM, enfermeiro Sandro André, a Corregedora do Conselho, enfermeira Suellen Couto, a fiscal do Coren-AM, enfermeira Gean Brito, conversaram com o diretor do hospital, André Vasconcelos, e foi solicitada toda documentação necessária para dar cumprimento aos procedimentos administrativos para instauração do inquérito junto ao Conselho.

    "

    Como órgão fiscalizador do exercício da enfermagem precisamos atuar firmemente para que atos como este sejam averiguados com seriedade. Estamos averiguando todos os fatos para que as medidas cabíveis sejam tomadas "

    Sandro André, Presidente do Coren-AM

     

    A grávida, vítima de estupro, está recebendo assistência da  Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM). 

    A Defensoria acionou o serviço de atendimento à mulher vítima de violência, que funciona na Casa de Maria e conta com psicóloga, e também prestará atendimento jurídico à vítima de violência sexual.

    O relato de abuso sexual

    A mulher conta que deu entrada na unidade de saúde após sentir fortes dores no estômago. Assim que chegou, foi atendida por uma enfermeira, que a encaminhou para sala de reanimação, para que ela tomasse os remédios.

    Ela fez um acesso pela virilha da grávida e iniciou as primeiras medicações. A profissional pediu para que o técnico de enfermagem continuasse o atendimento. Quando ela se distanciou, ele aplicou, por meio de uma seringa, um medicamento que não informou para a vítima qual era. 

    Logo em seguida, a jovem começou a ficar sonolenta e adormeceu. Por estar sentindo fortes dores nas partes íntimas, começou a despertar. Quando abriu os olhos, se deparou com a cena do homem com as mãos em sua vagina. 

    Além de deixar marcas de chupão no seio da gestante, ele ainda fez o mesmo nas nádegas da vítima. 

    Ela reconheceu ele e ficou novamente inconsciente. Quando acordou, ela informou para a enfermeira o que tinha acontecido e ligou para a mãe, que foi ao hospital atrás do homem. No entanto, ele já tinha ido embora do local. 

    Chorando, a vítima contou que o diretor do hospital foi acionado e mostrou fotos dos profissionais do local. Ela reconheceu o abusador e o gestor afirmou que ele será afastado, pedindo para que a gestante não divulgasse o que aconteceu para não manchar a imagem do hospital.  

    A vítima procurou a delegacia e registrou o caso. Ela passou por exames de corpo de delito, que comprovaram o estupro, mas o acusado ainda não foi preso.

    Leia mais:

    Grávida de 7 meses morre após usar medicação para abortar 

    Suspeito de estuprar grávida em Itacoatiara é afastado 

    Grávida é estuprada por técnico de enfermagem em Itacoatiara 

    Comentários