Fonte: OpenWeather

    Feminicídio


    Vídeo: suspeito de matar esposa na frente dos filhos é preso no AM

    Segundo a polícia, a vítima foi assassinada com 15 facadas

     

    O suspeito tava escondido na casa de familiares
    O suspeito tava escondido na casa de familiares | Foto: Reprodução

    Eirunepé (AM) - Dois dias após o assassinato de Elizandra Pedrosa da Silva, de 28 anos, morta com 15 facadas na frente dos filhos, o marido da vítima e principal suspeito do crime, Joel Martins da Silva, de 36 anos, foi preso, nesta quinta-feira (25), no bairro Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Eirunepé, a 1.171 quilômetros de Manaus.

      Conforme a Polícia, o suspeito estava escondido na casa de familiares, na mesma rua onde aconteceu o feminicídio. No dia do crime, os filhos menores da vítima presenciaram as cenas de violências, e vizinhos ouviram os gritos de Elizandra. O suspeito foi visto com uma faca nas mãos, entretanto, conseguiu fugir por uma área de mata.  

    Após a prisão, Joel foi encaminhado à Delegacia Interativa de Polícia de Eirunepé e deve ficar à disposição da Justiça para responder pelo crime de feminicídio. O suspeito deve prestar depoimento na delegacia da cidade,e esclarecer as circunstâncias do crime.

     

    A vítima foi morta na frente dos filhos
    A vítima foi morta na frente dos filhos | Foto: Reprodução

    O crime chocou moradores da cidade pela brutalidade com a qual a vítima foi assassinada. 

    Confira o momento da prisão:

    Capa do Vídeo
    | Autor:
     

    Cresce em 300% casos de feminicídio no interior

    Os casos de feminicídio no interior do Amazonas registraram um aumento de 300% de janeiro a agosto de 2021, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), nove mulheres foram vítimas desse crime nos primeiros oito meses do ano, enquanto no mesmo intervalo de 2020 foram três.

    Só em Humaitá, foram dois feminicídios. Novo Aripuanã, Boca do Acre, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Tapauá, Anori e Manacapuru também registraram um caso cada. Na capital, os casos registraram queda de 33%, foram nove feminicídios de janeiro a agosto de 2020, três a mais do que o contabilizado nos primeiros oito meses deste ano. 

    O feminicídio é o assassinato de uma mulher pelo simples fato de ser mulher e foi tipificado em uma lei sancionada em 2015. Os motivos mais comuns do crime incluem o ódio, o desprezo ou o sentimento de perda do controle e da propriedade sobre as mulheres, comuns em sociedades marcadas pela associação de papéis discriminatórios ao gênero feminino.

    Com exceção de Humaitá, Tabatinga e Manacapuru, todos os demais municípios do interior do Amazonas que registraram assassinato contra as mulheres motivados por misoginia não contam com uma delegacia especializada para o atendimento às mulheres.  

    Leia mais

    Mulher é assassinada com 15 facadas na frente dos filhos no Amazonas

    Padrasto que estuprou e matou enteada é preso preventivamente no AM

    MPAM acata representação contra homem "fantasiado" de goleiro Bruno