Fonte: OpenWeather

    Ação policial


    Fuzil furtado da casa de policial civil é recuperado no Jorge Teixeira

    O crime aconteceu na última segunda-feira (23), no bairro Nova Cidade

    O suspeito indicou onde havia enterrado o fuzil
    O suspeito indicou onde havia enterrado o fuzil | Foto: Reprodução

    Manaus - Um fuzil pertencente ao acervo da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) que havia sido subtraído por Argemiro Guimarães de Souza, 31, na segunda-feira (23), da casa de um policial civil, na rua Fileto Pires, Conjunto Habitacional Vila da Barra, bairro Nova Cidade, na Zona Norte, foi recuperado na quarta-feira (25). A arma de alto calibre foi encontrada por volta das 22h, em um terreno baldio do bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus. 

    De acordo com o delegado Paulo Mavignier, diretor do Departamento de Investigação sobre Narcótico (Denarc), a ação conjunta para solucionar o caso ocorreu em parceria com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), Grupo Força Especial de Assalto e Resgate (Fera) e Distrito Integrado de Polícia (DIP) de Manacapuru (distante 68 quilômetros em linha reta da capital).

    Mavignier informou, ainda, que um homem, até então desconhecido, havia arrombado a residência do policial que estava vazia naquele momento. Ao entrar, se deparou com o fuzil em dos quartos e o furtou. Além disso, também subtraiu joias e algumas roupas. Ao sair do local da casa, ele entregou a arma para um conhecido para que ele a escondesse.

    “Depois que recebemos a ocorrência, iniciamos diligências para identificar o suspeito e a moto usada por ele na fuga. A partir disso, chegamos ao autor do furto, Argemiro”, detalhou a autoridade.

    O diretor explicou também que, ao fazer abordagem a Argemiro, em sua casa, no bairro Jorge Teixeira, ele informou o local onde o seu conhecido havia enterrado o fuzil. A arma estava em um terreno baldio, naquele bairro. Com isso, a equipe policial se dirigiu ao local e encontrou a arma enterrada.

    “Argemiro não foi preso, pois já se passava 48h que o crime ocorreu, tendo saído da situação de flagrante. Então, representamos juntamente ao Poder Judiciário pelo mandado de prisão preventiva pelo crime de furto qualificado”, detalhou a autoridade.

    O diretor explanou que Argemiro foi preso pelo delito de furto em 2019. Quando saiu, voltou a cometer os crimes. O homem informou que as joias roubadas da residência foram vendidas para comprar drogas.


    *Com informações da assessoria

    Leia Mais

    Casal é preso com armas e drogas em Tabatinga

    Suspeito de assalto é baleado ao tentar desarmar policial no Centro

    PF deflagra operação para prender quadrilha que desviava encomendas