Fonte: OpenWeather

    Noite de terror


    Bandidos roubam bancos e fazem reféns em Cametá, no Pará; veja vídeos

    Muito parecido com o assalto que houve em Criciúma (SC), os criminosos usaram as vítimas como escudo para atacar um quartel da Polícia Militar

     

    Reféns estavam em bares quando foram abordados por criminosos
    Reféns estavam em bares quando foram abordados por criminosos | Foto: Reprodução/Twitter

    Aproximadamente 20 criminosos tomaram as ruas de Cametá, localizada no norte do Pará e atacaram uma agência do Banco do Brasil. De acordo com moradores, outras agências foram assaltadas, porém, o governo nega a informação. Populares que estavam em bares assistindo jogo do Flamengo, foram feitos reféns e uma das vítimas foi morta.

    Muito parecido com o assalto que houve na madrugada desta segunda (1°) em Criciúma (SC), os criminosos usaram as vítimas como escudo para atacar um quartel da Polícia Militar (PM) e se movimentar pela cidade. Além disso, o grupo portava armas de alto calibre e utilizou explosivos para destruir a entrada do banco. 

    Não é possível afirmar que o assalto foi realizado pelo mesmo grupo criminoso
    Não é possível afirmar que o assalto foi realizado pelo mesmo grupo criminoso | Foto: Reprodução

    Por mais de uma hora, os criminosos atiraram para cima e por volta de 1h30 a quadrilha deixou a cidade, fugindo em carros e barcos – a cidade fica às margens do Rio Tocantins. Conforme informações, uma caminhonete com explosivos foi apreendido no km 15 da estrada que liga Cametá a Tucurí. Ninguém ainda foi preso.

    Embora a ação seja muita parecida com a de Criciúma, não é possível afirmar que o assalto foi realizado pelo mesmo grupo criminoso. 

    De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Pará (Segup), desde que assalto foi confirmado, equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), do Batalhão de Ações de Cães (Bac), da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) e duas aeronaves do Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará (Graesp) se deslocaram para dar apoio ao município, que fica a cerca de 235 km da capital Belém.

    Tiros e até mesmo a condução das vítimas foram registrados por populares que estavam na rua ou que moram perto do local que houve o crime. Assista:

    | Autor: Reprodução/Twitter
     
    | Autor: Reprodução/Twitter
     
    Reféns sendo conduzidos. | Autor: Reprodução/Twitter
     

    *Com informações de G1 e Isto é

    Leia mais: 

    Conheça os dez maiores roubos da história do Brasil e do mundo

    Grupo assalta banco em Criciúma com comparações a 'La Casa de Papel'

    Bomba, tiros, reféns e dinheiro no chão: Criciúma tem noite de terror