Fonte: OpenWeather

    Depoimento


    Mãe de Henry dava remédio de ansiedade para ele dormir

    Em depoimento, a empregada Leila Rosângela confirmou que Monique medicava Henry três vezes ao dia pois alegava que o menino era muito agitado

     

    Rosângela pontuou ainda que Henry “chorava o tempo todo”
    Rosângela pontuou ainda que Henry “chorava o tempo todo” | Foto: Divulgação

    Em novo depoimento, a empregada de Monique Medeiros e o vereador Dr. Jairinho, Leila Rosângela de Souza, informou que o casal tomava muitos remédios e que a mãe do menino dava medicação para Henry Borel três vezes por dia, porque ele era muito ansioso e não dormia direito, além de administrar xarope de maracujá.

    Durante os esclarecimentos, Leila também confirmou que o político e Henry ficaram trancados por cerca de 10 minutos no quarto no dia 12 de fevereiro. Afirmou ainda que o menino, ao deixar o cômodo, estava mancando e com “cara de apavorado”. 

    Ao ser ouvida pela polícia pela primeira vez, Leila havia dito que Henry e Jairinho não costumavam ficar sozinhos no mesmo cômodo. No entanto, no novo depoimento, nesta quarta-feira (14), ela acabou voltando atrás sobre os dois terem ficados sozinhos no quarto. 

     

    Jairinho e o enteado ficavam sozinhos, porque passava a maior parte do tempo na cozinha.
    Jairinho e o enteado ficavam sozinhos, porque passava a maior parte do tempo na cozinha. | Foto: Divulgação

    Rosângela também afirmou que, tão logo, Jairinho entrou no apartamento no dia 12 de fevereiro, Henry saiu correndo do sofá, pulou em seu colo e o abraçou. Ela garantiu não ter ouvido barulho vindo do quarto quando Jairinho e o enteado estavam sozinhos, porque passava a maior parte do tempo na cozinha.

    Rosângela pontuou ainda que Henry “chorava o tempo todo” e vomitava de vez em quando, mas ela não sabe dizer a razão dos vômitos.

    Agora, questionada por que não contou tais fatos à polícia, a empregada alegou que não se lembrava dos acontecimentos, mas negou que tenha problemas de memória.

    Rosângela também afirmou que, tão logo Jairinho entrou no apartamento no dia 12 de fevereiro, Henry saiu correndo do sofá, pulou em seu colo e o abraçou. Ela garantiu não ter ouvido barulho vindo do quarto quando Jairinho e o enteado estavam sozinhos, porque passava a maior parte do tempo na cozinha.

    Disse só ter percebido que a porta estava trancada quando foi ao closet guardar roupas. Também confirmou que o menino estava mancando ao deixar o quarto e que a babá perguntou a Henry o que havia ocorrido.

    *Com informações do Metrópoles 

    Leia Mais:

    Dr. Jairinho e a mãe de Henry ficarão 14 dias isolados em presídios

    Caso Henry: vereador Dr. Jairinho tem salário e mandato suspensos

    Babá de Henry relatava para a mãe as agressões de Jairinho