Fonte: OpenWeather

    Crime


    “Sugar daddy” é preso no DF por estuprar mulheres

    O homem prometia um relacionamento de “sugar daddy” e “sugar baby”, aos modos do site e acaba praticando a violência contra as mulheres

     

    Ele atraía as mulheres por meio do aplicativo
    Ele atraía as mulheres por meio do aplicativo | Foto: Reprodução

    O termo 'Sugar Daddy', 'Papai de Açúcar' é recente, mas já possui diversos adeptos. Em uma tradução literal, une homens maduros e com condições financeiras favoráveis à mulheres jovens e bonitas, que gostam de ser mimadas com viagens, presentes e jantares.

    Nem sempre esses encontros acabam bem. Policiais civis da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher I (Deam I). cumpriram mandado de prisão e busca e apreensão em Goiânia e detiveram um homem investigado por sete casos de crimes sexuais cometidos no Distrito Federal.

    Segundo as investigações, o autor selecionava mulheres na faixa etária de 21 anos, por intermédio do site “Meu Patrocínio”.

    O homem prometia um relacionamento de “sugar daddy” e “sugar baby”, aos modos do site, e marcava encontro com as vítimas em um motel.

    Ainda segundo as investigações, no local, mantinha relação sexual vaginal consentida e as obrigava, mediante violência, a manter coito anal.

    Tendência Sugar Babies

    Fora do mercado de trabalho e em busca de uma relação com benefícios, elas buscam homens endinheirados para um relacionamento sugar. Um estilo de vida criado pelos americanos e vem se popularizando no Brasil.

    As mulheres que procuram por esse modelo de relacionamento são chamadas “Sugar Babies”. Os homens que bancam as meninas são os “Sugar Daddies”, eles possuem uma renda mensal média de R$ 47 mil reais, sendo que cerca de R$ 2 mil desse valor são gastos para oferecer um novo estilo de vida para sua Sugar Baby.

    *Metrópoles

    Leia mais:

    Dia do orgasmo: 55% das mulheres dizem que 'não chega lá'

    Após ser traída, mulher separa e agora tem '9 sugar dadies'