Fonte: OpenWeather

    Estupro virtual


    Jovem é preso por exigir “nudes” de professora e ameaçar exposição

    O caso aconteceu em Goiás e de acordo com a polícia, o crime caracteriza-se como estupro virtual

     

    O suposto criminoso passou a fazer ameaças de divulgar imagens íntimas de uma professora nas redes sociais
    O suposto criminoso passou a fazer ameaças de divulgar imagens íntimas de uma professora nas redes sociais | Foto: Divulgação PCGO

    No ano de 2009, o Código Penal passou por alterações e o art. 213, ampliou o conceito de estupro, que passou a ser definido como: “Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”. Casos de "estupro virtual" se enquadram na interpretação de ameaça. 

    Em Pires do Rio, região sudeste de Goiás, a 150 quilômetros de Goiânia, um jovem de 27 anos foi preso em flagrante, na quinta-feira (24), suspeito de praticar estupro virtual.

    De acordo com a Polícia Civil, o suposto criminoso passou a fazer ameaças de divulgar imagens íntimas de uma professora nas redes sociais, caso ela não produzisse mais vídeos sexuais de si mesma.

      Segundo a titular da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), delegada Sabrina Leles, a mulher chegou aos prantos na delegacia e abalada com as ameaças feitas pelo agressor virtual. Ela afirmou que estava disposta a tirar a própria vida.  

    Ela sofria ameaças de ter imagens íntimas dela divulgadas em redes sociais, caso não produzisse mais vídeos sexuais de si mesma e enviasse ao proprietário da redes social com troca de mensagens. 

    A equipe da delegacia verificou que o usuário com o qual a vítima estava trocando mensagens há alguns dias, proferia xingamentos contra ela e exigia que ela filmasse mais vídeos sexuais, nos quais ela deveria se exibir enquanto praticava atos libidinosos em si mesma.

    De acordo com as investigações, o suposto criminoso exigia ainda que ela dissesse o nome dele, para que ele tivesse certeza de que era a vítima quem se exibia nos vídeos, pois, conforme acrescenta, ao contrário ele iria divulgar na internet todas as fotos íntimas dela, que ele já possuía.

      Após diligências, o autor foi localizado e preso em flagrante pelo crime de estupro consumado, na modalidade virtual.  

    Ele foi autuado em flagrante delito na Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos e encontra-se recolhido, à disposição do Poder Judiciário. Se condenado pelo crime de estupro, o homem poderá ser apenado em até 10 anos de reclusão.

    *Metrópoles

    Leia mais:

    Adolescente filma próprio estupro e denuncia padrasto em SP

    Adolescente de 14 anos sofre estupro coletivo em Coari, no Amazonas