Fonte: OpenWeather

    Crime


    Homem paga R$ 38 mil para matar ex-mulher no Paraná

    A mulher estava chegando na casa da atual namorada no momento em que foi surpreendida pelo atirador

     

    | Foto: Reprodução

    Crimes que envolvem pessoas que já tiveram um relacionamento acontecem diariamente no Brasil. As motivações são diversas: ciúmes, não aceitação do término, divisão de bens e vingança. 

    Wagner Cardeal Oganauskas, ex-marido de Ana Paula Campestrini Oganauskas, teria pago o valor total de R$ 38 mil para matar a ex-mulher.

      A Polícia Civil descobriu comprovantes de transferências feitas em abril para o suposto atirador, Marcos Antonio Ramon. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (28).  

    O crime

    Por volta das 9h da última terça-feira (22), a vítima estava chegando na residência em que morava com a namorada, no bairro Santa Cândida, em Curitiba, quando foi abordada por uma pessoa em uma motocicleta. Ele atirou diversas vezes contra o carro em que Ana Paula estava.

    A Polícia Civil suspeita que a motivação para o assassinato de Ana Paula pode estar ligada a uma disputa de bens e a guarda dos filhos com o seu ex-marido.

    O ex-marido Wagner Cardeal Oganauskas e Marcos Antonio Ramon estão presos suspeitos pelo crime, porém negam qualquer envolvimento na morte da mulher.

    Investigações

    Extratos de duas transferências bancárias de uma empresa do ex-marido de Ana Paula para a conta do clube onde era presidente seriam indícios do pagamento pelo crime.

    Segundo a polícia, Wagner disse à tesoureira do clube que havia cometido um erro e que o dinheiro devia ser depositado, na verdade, na conta de Marcos, quem os investigadores acreditam ter atirado contra a vítima.

    "

    Esses repasses foram efetivamente o pagamento recebido pelo atirador para a morte de Ana Paula Campestrini "

    Tathiana Guzella, delegada

     

    As mensagens trocadas entre Marcos e um porteiro do clube onde ele era diretor comprovariam que a motocicleta usada pelo atirador no dia do crime é dele. Testemunhas também teriam visto Marcos dirigindo a motocicleta sem placa dias antes do crime.

    Amigos e familiares de Ana Paula estão oferecendo uma recompensa a quem encontrar a motocicleta usada pelo atirador no dia do crime. O valor é de R$ 2 mil e também será pago a quem indicar informações que possam levar à apreensão do veículo.

    Os paradeiros da motocicleta e da arma usada no homicídio ainda são investigados pela Polícia Civil. A moto suspeita de ser usada na perseguição que terminou com a morte de Ana Paula Campestrini.

    Em nota, a defesa de Marcos e Wagner disse que os dois estão à disposição da Justiça e que não pode se manifestar publicamente sobre eventuais provas do inquérito por estarem em segredo de justiça.

    “Causa estranheza a Delegada estar revelando dados sigilosos para a imprensa, violando dever de sigilo”, aponta a nota.

    *Informações RPC

    Leia mais:

    Padrasto que matou bebê estava escondido em casa de pastor no AM

    Conselheiro Tutelar é morto com tiros a cabeça em praça no AM