Fonte: OpenWeather

    Investigação


    Polícia Federal diz não ter encontrado celular de Roberto Jefferson

    Pouco antes de ser preso, o presidente do PTB afirmou à PF que pediu a um pedestre que jogasse seu celular em um rio

     

    Segundo o delegado do caso informou ao STF, Jefferson disse que havia entregado seu celular a uma pessoa na rua para que jogasse o aparelho no Rio Paraibuna, em Comendador Levy Gasparian (RJ), cidade onde mora o ex-deputado.
    Segundo o delegado do caso informou ao STF, Jefferson disse que havia entregado seu celular a uma pessoa na rua para que jogasse o aparelho no Rio Paraibuna, em Comendador Levy Gasparian (RJ), cidade onde mora o ex-deputado. | Foto: Divulgação


    Rio de Janeiro - Após determinação do ministro Alexandre de Moraes, o ex-deputado federal Roberto Jefferson foi preso no último dia 13 por, supostamente, integrar uma suposta organização criminosa digital para atacar a democracia. A Polícia Federal, no entanto, não teve sucesso em encontrar o aparelho celular do presidente do PTB.

    Segundo o delegado do caso informou ao STF, Jefferson disse que havia entregado seu celular a uma pessoa na rua para que jogasse o aparelho no Rio Paraibuna, em Comendador Levy Gasparian (RJ), cidade onde mora o ex-deputado.

      “Em outras ações policiais seus celulares teriam sido apreendidos e nunca mais restituídos”, justificou Jefferson ao delegado, acrescentando que a equipe não encontrou nenhum objeto de interesse na residência do ex-deputado.  

    Quando os policiais pediram as imagens das câmeras da casa, que tem parentes de Jefferson como vizinhos, o ex-deputado e sua mulher informaram que o sistema estava desligado. Alegaram que a casa passava por reformas, como a equipe da PF constatou.

    *Com informações do Metrópoles

    Leia mais:

    PGR defende prisão domiciliar para Roberto Jefferson

    Bolsonaro diz ter 3 opções de futuro: 'Ser preso, morto ou a vitória'

    Sem políticas públicas, crise hídrica pesará no bolso do consumidor