Fonte: OpenWeather

    Agressões e morte


    Agressora envia áudio para família de mulher morta por causa de R$ 25

    Ela debochou da família e disse "Vai dar em pizza". Veja o vídeo

     

    A família culpa a agressora pela morte de Darah
    A família culpa a agressora pela morte de Darah | Foto: Cleber Mendes/Agência O Dia


    Rio de Janeiro (RJ)– Imagens de uma agressão que terminou em morte circula nas redes sociais. Darah Moreira Duarte morreu após ser agredida e arrastada no chão por uma colega de profissão por causa de R$ 25.

    A família ficou surpresa com o áudio que receberam da agressora, identificada como Gabriele Galdinho. Darah foi enterrada na tarde deste sábado (4)

    De acordo com reportagem do jornal O Dia, Gabriele nega que tenha sido responsável pela morte da vendedora e diz que Darah morreu em consequência do uso de drogas:

     

    Darah foi enterrada na tarde deste sábado (4)
    Darah foi enterrada na tarde deste sábado (4) | Foto: Reprodução
    "

    Não é assim não. Ela não morreu por minha causa, ela morreu sozinha por causa das drogas. Ela também me agrediu. Eu não tenho nada a esconder "

    autora das agressões,

     

    No áudio que teria sido enviado pela agressora, ela sugere que a família não faça publicações contra ela nas redes sociais, pois o caso “vai dar em pizza”.

    Reveja o vídeo: 

    Capa do Vídeo
    | Autor: Reprodução
     


    Mesmo assim, Aline Duarte, de 37 anos, prima de Darah, refuta o conselho, mesmo sem certeza de que Darah era usuária drogas, ela reforça que isso não muda o fato de que Gabriele bateu na vítima.

    "

    Não víamos ela há muito tempo. Não sei se ela era usuária de drogas. Mas, independente da minha prima usar drogas ou não, estar drogada ou não, ela (Gabriele) não tem o direito de fazer o que fez e bater na minha prima até a Darah morrer. Se minha prima estivesse drogada ela sabia e não deu chance da Dara se defender, no vídeo (que mostra a briga) fica bem claro. Ela (Gabriele) quer só tirar a culpa que é dela "

    Aline Duarte, prima da vítima

     

    Policiais da Delegacia de Homicídios da Capital ouviram o depoimento de Gabriele e a liberaram em seguida.

    De acordo com a Polícia Civil, a mulher se apresentou espontaneamente na unidade policial. Os agentes aguardam o resultado do exame de necropsia para confirmar a causa da morte de Darah.

    *O Dia

    Leia mais:

    Mãe leva três tiros na cabeça ao impedir execução de filho 

    Mulher é assassinada a facadas no bairro Cidade de Deus, em Manaus