Fonte: OpenWeather

    Investigação


    Preso homem que clonou placa de veículo usado em homicídio de advogado

    No total, duas pessoas estão presas por envolvimento na morte de Armando Freitas. OAB-AM continua com a oferta de R$ 10 mil para quem apresentar informações que levem à prisão do principal envolvido no crime

    A prisão de Jerson ocorreu por volta das 17h da última segunda-feira (10)
    A prisão de Jerson ocorreu por volta das 17h da última segunda-feira (10) | Foto: Josemar Antunes/Em Tempo

    Manaus - Dando continuidade às investigações sobre a morte do advogado Armando Freitas, de 79 anos, assassinado no dia 4 de maio deste ano, no bairro Glória, Zona Oeste de Manaus, a Polícia Civil do Amazônia prendeu mais um homem envolvido no crime. Jerson Rodrigues Ferreira, de 34 anos, conhecido como "Gelson", é apontado pela polícia com o responsável por clonar as placas do veículo usado no assassinato. 

    A prisão de Jerson, que é monitorado por tornozeleira eletrônica, ocorreu por volta das 17h da última segunda-feira (10), em um posto de combustíveis na Alameda Cosme Ferreira, bairro Zumbi dos Palmares, Zona Leste da capital. A ordem judicial por homicídio qualificado foi expedida pelo juiz George Hamilton Lins Barroso, da 1ª Vara do Tribunal do Júri. 

    De acordo com o delegado Orlando Amaral, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Jerson estava sendo investigado pela equipe da especializada por ter colocado as placas do carro Ônix, de cor branca, que foi utilizado para auxiliar na fuga de um dos criminosos após o advogado Armando Freitas ser assassinado. 

    "Jerson já tem duas passagens por tráfico de drogas e uma por receptação de veículo, além de outras fraudes. O papel dele é roubar e clonar placas de veículos. Ele tem receio de falar quem é o mandante, mas sabemos que ele e o comparsa, que já está preso, realmente entregou o carro usado pelos criminosos no assassinato do advogado ", explicou. 

    Delegado Orlando Amaral diz que trabalha com duas linhas de investigação
    Delegado Orlando Amaral diz que trabalha com duas linhas de investigação | Foto: Josemar Antunes/Em Tempo

    Investigação 

    Amaral destaca que a equipe policial trabalho com duas linhas de investigação. “Uma delas aponta que o crime foi encomendado por um traficante, que não quis pagar pelos serviços do advogado. A prisão desses dois homens deve alinhar às investigações", disse Orlando Amaral. 

    Para o coronel Amadeu Soares, secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), um outro veículo usado no crime foi localizado em um Estado próximo, mas não foi revelado para não comprometer o andamento das investigações. 

    "Dois são responsáveis pela clonagem do veículo, mas há outras pessoas envolvidas na morte do advogado Armando Freitas. Até agora, a motivação do crime não foi revelada e nem o mandante. Estamos trabalhando com base no depoimento dele [Jerson]. Acreditamos que, além dele, há um ou mais pessoas nesse crime", disse. 

    O procurador geral de prorrogativa da Ordem dos Advogados do Amazonas (OAB-AM), ressaltou que a Polícia Federal seria acionada, mas ficou contente com o trabalho realizado pela equipe da DEHS. 

    "Ficamos animados com a troca de gestão e estamos confiantes no trabalho de investigação. Ainda estamos oferecendo uma recompensa de R$ 10 mil, para quem ajude a localizar o principal assassino [aquele que atirou]", disse. 

    O veículo Ônix usado na morte do advogado já foi apreendido no dia 15 de maio deste ano pela DEHS. Jerson foi indiciado por homicídio qualificado e será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDPM), no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus/Boa Vista).

    Confira a reportagem da TV Em Tempo.

    Confira a reportagem | Autor: TV Em Tempo

    Leia mais:

    OAB-AM pede apoio da Polícia Federal para elucidar morte de advogado

    OAB oferece R$10 mil por informações sobre morte de advogado em Manaus

    Polícia tem retrato falado e suspeitos de assassinato de advogado