Fonte: OpenWeather

    Centro de Manaus


    Polícia registra correria no Centro, pega suspeitos e nega 'arrastão'

    Duas pessoas foram detidas por suspeita de envolvimento no arrastão, segundo informou a Polícia Militar

    Correria assustou quem estava nas compras neste sábado (22) | Autor: Divulgação
    Houve tumulto e gritaria em várias ruas no bairro
    Houve tumulto e gritaria em várias ruas no bairro | Foto: Divulgação

    Manaus - A notícia de um arrastão em lojas populares deixou inúmeros consumidores em pânico no Centro de Manaus, Zona Sul, no início da tarde deste sábado (22). Gritos e correria foram percebidos na rua Marechal Deodoro, popularmente conhecida como "rua do bate-palmas". Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM) divulgou nota afirmando que não houve arrastão. 

    Imagens mostram o momento em que pessoas começaram a correr, assustando quem estava nas compras. Imediatamente, funcionários das lojas avisaram que iam fechar os estabelecimentos para proteção e chamaram quem estava perto para entrar.

    A galeria BBC foi apontada como o centro de atuação dos assaltantes. Vários cidadãos gravaram pedidos de socorro em apelo à polícia. Uma mulher, não identificada pela reportagem, disse que estava dentro da loja Riachuello e afirmava que os bandidos estavam dentro do comércio.

    Outra mulher disse que estava com uma sobrinha dentro da galeria e que precisava de ajuda para resgatá-la. Até por volta das 14h a Polícia Militar (PM) informou que fazia varreduras no local para identificar os autores do arrastão e tranquilizar as pessoas nas ruas. Conforme informações repassadas por policiais da 24ª Companhia Comunitária Interativa (Cicom), o crime ocorreu na rua Lobo D'Almada e houve tumulto em várias outras vias da região.

    Samanta Assunção vendedora de uma das lojas na galeria
    Samanta Assunção vendedora de uma das lojas na galeria | Foto: Johny Vasconcelos/Em Tempo

    Na galeria Jambo, localizada na rua Marechal Deodoro, a vendedora Samanta Assunção descreve o momento da entrada dos suspeitos no local.

    “Primeiro houve uma correria. As pessoas foram entrando nas lojas em busca de abrigo. Inclusive, muitas pessoas passando mal, crianças, grávidas. Quando eles [bandidos] entraram, derrubaram todos os manequins para impedir a entrada da polícia”, disse.

    Ainda de acordo com a vendedora, no momento em que os proprietários cediam as lojas como abrigos para os clientes houveram furtos, inclusive, na qual ela trabalha.

    Na ocasião, pessoas se aproveitaram da situação e furtaram várias lojas na galeria Jambo
    Na ocasião, pessoas se aproveitaram da situação e furtaram várias lojas na galeria Jambo | Foto: Johny Vasconcelos/ Em Tempo

    “Na hora do tumulto teve pessoas que se aproveitaram da situação e furtaram várias lojas aqui na galeria. Furtaram até o celular da minha patroa”, conta Assunção.

    Dois homens ainda não identificados foram detidos por suspeita de envolvimento no arrastão. No meio da correria, algumas crianças se perderam de seus responsáveis e pediram ajuda. Qualquer informação de menores encontrados ou desaparecidos, a PM está à disposição para direcionar a situação, por meio do 190.

    SSP esclarece o ocorrido 

    Por volta das 15h, a SSP-AM informou, em nota, que na tarde deste sábado (22) duas pessoas foram detidas por suspeita de tentativa de furto a uma loja localizada em uma galeria da Marechal Deodoro, no Centro. 

    Segundo o secretário de Segurança Pública, coronel Amadeu Soares, a dupla foi encaminhada à delegacia para esclarecimentos. Após o fato, disseminou-se pela região boatos de arrastão, o que não se confirma.

    De acordo com o capitão Walasson, coordenador de operações do Centro de Comunicações Operacionais da Polícia Militar (CECOPOM), seis pessoas foram detidas, sendo que duas delas chegaram a ser agredidas por populares pela suspeita de furto. 

    Todos foram detidos e encaminhados ao 24° Distrito Integrado de Polícia (DIP), mas nada foi comprovado contra eles até o momento.

    “A Polícia Militar do Amazonas solicita que as pessoas que tenham sido vítimas dos suspeitos se encaminhem ao 1° DIP, para registrar Boletim de Ocorrência. O subcomandante geral da PM, coronel Ayrton Norte, afirmou que não houve tiroteio ou arrastão no local e sim a propagação de notícias inverídicas que acabaram deixando a população que fazia compras no Centro em pânico. O subcomandante afirmou que todas as medidas foram tomadas.

    A SSP ressalta que, desde os primeiros dias de dezembro, “a Polícia Militar está com a Operação Boas Festas, com reforço policial nas zonas comerciais da capital. Em torno de mil policiais estão sendo empregados, em escalas de plantão, nas ações de patrulhamento para prevenir, reprimir e combater ocorrências criminais”.

    Texto atualizado às 15h10 com informações da SSP-AM

    Leia mais

    Homem morre ao pular de ônibus para fugir de assalto em Manaus

    Cinco pessoas acusadas de roubo são presas em Manaus

    Mulher é presa com arma de fogo, droga e munição em Manaus