Abuso em escola


Flagra: professor assedia aluna e continua a dar aulas em Manaus

O professor de 54 anos foi denunciado por seduzir aluna em sala de aula nesta manhã e depois liberado pela polícia. O Em Tempo teve acesso à conversa com a menor de idade e ao vídeo do educador na escola, mesmo após ser denunciado por vítima

A escola fica localizada na zona Norte de Manaus
A escola fica localizada na zona Norte de Manaus | Foto: Divulgação


Manaus - O Em Tempo teve acesso exclusivo ao teor da conversa entre uma aluna de 17 anos e um professor de matemática, de 54 anos, denunciado nesta quinta-feira (4) por abuso sexual. Por meio de desenhos com conteúdo de sexo explícito, o educador faz elogios ao corpo da jovem e deixa claro que quer obter informações sobre o desempenho sexual dela. 

A adolescente de 17 anos acionou a Polícia Militar nesta manhã para denunciar o aliciamento do professor. O caso aconteceu na Escola Estadual Senador Professor João Bosco Ramos de Lima, no bairro Cidade Nova, na Zona Norte de Manaus. 

Conversa íntima

A conversa aconteceu por meio do aplicativo de conversas do Facebook e não teria sido a primeira vez que o professor tentou uma aproximação com cunho sexual. O docente já tem registro na polícia de outros dois casos de abuso contra estudantes em escolas de Manaus. 

De acordo com uma pessoa próxima da vítima, o professor sempre puxava assunto com a menor e começou a mandar pornografias para ela, por meio do aplicativo, com intuito de conquistá-la. Após ser pressionada, a garota decidiu conversar com uma funcionária da unidade escolar e contar o caso. Ela foi orientada a denunciar formalmente os abusos à autoridade policial.

Teor da conversa

Em uma das conversas que o Em Tempo teve acesso, o professor envia um desenho que simula sexo oral. Minutos depois, sem ter a investida correspondida pela jovem, ele diz: "É só zueira". Ainda assim, o homem de 54 anos decide fazer uma pergunta íntima. 

  • "Você já transa? Curiosidade pura"

Em outro diálogo, o professor decide comentar uma foto postada pela jovem no Storie do Facebook.

"Pedaço de mal caminho!"

A jovem nega a afirmação do professor e ele diz que está com saudade dela. Descrente, a garota questiona-o sobre isso.

"De mim? Por quê?", disse ela.

Veja a conversa na íntegra: 

O homem alicia a aluna pela rede social
O homem alicia a aluna pela rede social | Foto: Arquivo Pessoal


Denúncia

Aos policiais militares, primeiros a chegarem à escola, a adolescente relatou que passou a receber fotos pornográficas no celular e também recebia mensagens com palavras eróticas pelo WhatsApp. A informação foi repassada pelo sargento Helder Nonato da 6ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom)

Em seguida, o caso foi levado à Depca, no bairro Planalto, na Zona Centro-Oeste. A reportagem entrou em contato com a delegada Joyce Coelho para obter mais informações sobre a investigação. Ela informou que o professor ainda não foi detido e que deve responder pelo crime. 

"Após o registro do Boletim de Ocorrência, agora ele será notificado e deve comparecer na Depca para prestar esclarecimentos sobre o conteúdo sexual encontrado no celular da jovem, em conversa por aplicativo de mensagem. O caso foi registrado no plantão anterior, mas acredito que ele deve assinar um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) dependendo do que for dito por ele durante depoimento", declarou a delegada que não estava na delegacia no momento em que o caso foi denunciado. 

Livre, leve e solto

Mesmo após a denúncia ser feita na delegacia e a direção da escola ter sido informada sobre o caso, um amigo da jovem (também aluno) flagrou o professor dentro da Escola Estadual Senador Professor João Bosco Ramos de Lima. Indignada, a pessoa decidiu gravar a situação. O flagra foi feito no início da noite desta quinta, mais de 12 horas após o caso vir à tona. 

Veja o flagra: 

O homem aparece na frente de uma das salas acompanhado de outro funcionário da escola | Autor: Arquivo pessoal

De acordo com o padrasto da vítima, um pedreiro de 47 anos, o educador chegou a ser preso pela PM, colocado na viatura e levado até a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

"Ele foi preso na frente de todos e levado até a delegacia. Lá, a minha enteada foi ouvida primeiro e estava muito nervosa. Achei estranho porque trataram ele com muita naturalidade, como se esse crime fosse algo comum. Agora fica o questionamento de como ele foi liberado pela polícia, mesmo tendo as provas contra ele. Estamos indignados com essa situação e se nada for feito, vamos nos reunir e fazer uma grande manifestação", ameaça o pedreiro.

A reportagem tentou contato com a escola, por telefone, mas devido ao horário ninguém atendeu as chamadas. Mais cedo, o órgão informou que apura as mensagens trocadas pelo professor  e a aluna. 

"A conduta é veementemente reprovada e combatida pela secretaria. A Seduc informa, ainda, que assim que foi notificada, procedeu com afastamento do servidor da unidade de ensino. A Seduc deu início aos processos administrativos cabíveis para apuração do caso, durante o qual será respeitado o direito à ampla defesa do servidor". 

A reportagem solicitou posicionamento da Seduc, já que o órgão havia informado o afastamento dele da unidade de ensino. Assim que a nota for enviada, esse conteúdo será atualizado. 

Outras denúncias

O Em Tempo chegou a mostrar dois outros casos em que o mesmo professor foi denunciado por aliciar alunas em escolas públicas da capital amazonense. Em um dos casos, ele é filmado dentro da sala de aula, Escola Estadual Raimundo Holanda de Souza, na zona Norte, com uma menina sentada no seu colo. Na ocasião, o educador estaria comemorando o próprio aniversário. 

Veja parte da reportagem feita pela TV Em Tempo na ocasião da segunda denúncia

Veja parte da reportagem feita pela TV Em Tempo na ocasião da segunda denúncia | Autor: TV Em Tempo

Leia mais

Professor é condenado a 20 anos por abusar de alunas, em Manaus

Homem é preso acusado de estuprar, agredir e manter mulher em cárcere

Diretor e pedagogo de escolas no AM são presos por estupro de alunas