Violência Doméstica


Grávida é espancada e expulsa de casa pelo companheiro em Manaus

Mesmo sabendo da gestação da mulher, o suspeito deu um chute na barriga da vítima, que quer apenas a separação. Filha de três anos de idade do casal presenciou toda a ação violenta

.
. | Foto: Daniel Landazuri/EM TEMPO

Manaus - Grávida de dois meses, uma dona de casa de 20 anos foi espancada e expulsa de casa pelo companheiro, um homem de 32 anos. A mulher foi jogada para a rua somente com a roupa do corpo, e pediu ajuda de vizinhos. A violência doméstica aconteceu na manhã desta quinta-feira (9), na residência do casal, na rua Asa Branca, comunidade Parque Riachuelo, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

Enquanto aguardava para realizar exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), na Zona Norte, a vítima relatou à equipe do Em Tempo que as agressões aconteceram porque o companheiro não queria aceitar a separação do casal. "Nosso relacionamento estava em crise, e ele não me respeitava. Já passamos por muitas situações, inclusive de traição da parte dele. Precisei tomar uma atitude", contou a vítima.

A mulher relatou, ainda, que na última sexta-feira (3), ela comunicou o companheiro e o informou que queria a separação. Porém o homem saiu de casa e foi para um sitio da família no interior. Quando chegou na manhã de hoje, por volta das 9h, tentou uma reconciliação com a companheira e, quando foi contrariado, se enfureceu e a espancou.

"Eu disse que não queria mais viver com ele, e que iria buscar um canto para morar com meus filhos. Mesmo sabendo da minha gravidez ele me deu um chute na barriga, e com o impulso, acabei batendo a cabeça e a coxa. Depois disso ele ainda me deu tapas e socos", contou a mulher.

O relacionamento do casal iniciou há cinco anos, quando a mulher tinha apenas 15 anos de idade e ele tinha 26. Eles tem um filho de um ano e uma filha de três anos, que presenciou toda a agressão. A vítima está aguardando o terceiro filho do casal, e após as agressões ela teme perder o filho. "Eu estou tendo sangramentos. Depois do corpo de delito eu vou no Instituto da Mulher verificar o estado do bebê", disse. 

Amparada por familiares, a vítima, sem nenhum documento, pois foi impedida pelo companheiro de entrar em casa, registrou Boletim de Ocorrência (B.O), no 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP). O suspeito não foi detido. A mulher foi orientada e encaminhada para Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM). 

Edição: Lucas Vítor Sena

Leia mais

Pedreiro é mutilado e corpo é encontrado em área de mata da BR-174

Mãe perde a guarda da filha após espancá-la com sandália, em Manaus

Membros do CV executaram jovem por engano no Aleixo, diz investigação