Fonte: OpenWeather

    Polícia


    Nove pessoas são presas em operação 'Cidade das Trevas' em Manaus

    Os mandados de prisão, busca e apreensão começaram a ser cumpridos por volta das 6h desta terça-feira (14)

    Os mandados de prisão, busca e apreensão começaram a ser cumpridos por volta das 6h de hoje | Foto: Divulgação

    Manaus - Integrantes de um grupo criminoso suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas, venda ilegal de terrenos e formação de milícia nas invasões Cidade das Luzes, no Tarumã, zona oeste, e Buritizal, no Nova Cidade, Zona Norte, foram presos nesta terça-feira (14) durante a operação “Cidade das Trevas”, deflagrada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). A ação é fruto de investigação do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Polícia Civil, e resultou na prisão de nove pessoas.

    Os mandados de prisão, busca e apreensão começaram a ser cumpridos por volta das 6h desta terça. Cerca de 600 policiais civis e militares participaram da operação, que também contou com apoio do Departamento Integrado de Operações Aéreas (Dioa), Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) e Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC).

    Com os nove presos, os policiais apreenderam sete carros, 30 celulares, R$ 16,1 mil e diversos documentos relacionados às vendas de terrenos. Segundo a polícia, um dos líderes do grupo criminoso é Reginaldo Soriano, vulgo “Baiaca”, que foi preso logo pela manhã em uma residência no bairro Cidade Nova, zona norte, em cumprimento a um mandado de prisão.

    Ele é apontado como um dos principais intermediários do grupo com detentos do sistema prisional. Acusado de liderar as invasões, ele foi preso com diversos documentos relacionados à prática, como recibos de pagamento pelos lotes.

    Também foram presos em cumprimento a mandados de prisão Jocicley Mafra, Higson Seapra de Oliveira, Alex Braga Gomes, Rony Batista de Souza, Marcelo Braga de Araújo, Alex Farias de Castro, que estava com a tornozeleira eletrônica violada, e Vanessa Fernandes Soariano, filha de Baiaca e que, segundo informações da polícia, é mulher de um presidiário membro de uma organização criminosa.

    Ela foi presa em uma residência de luxo construída no Novo Aleixo, zona norte. Na casa dela, a polícia apreendeu R$ 14 mil e três carros, incluindo um Corola. Outra prisão foi a de Gerlani Guimarães da Silva, que aconteceu em flagrante na Cidade das Luzes.

    De acordo com o secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates, os policiais retiraram barricadas instaladas por traficantes com o objetivo de impedir a entrada das forças de segurança. Ele disse que as investigações, que começaram em janeiro, ainda prosseguem na busca de identificar as lideranças e também a denúncia da existência de um cemitério clandestino.

    “As milícias estão sendo investigadas desde o início de janeiro e hoje viemos com uma ocupação pesada para pacificar a comunidade, retirar os líderes das milícias. Mas as investigações vão continuar”, resumiu.

    O delegado-geral da Polícia Civil, Lázaro Ramos, disse que, além do tráfico de drogas, a maior parte dos crimes praticados pelo grupo está relacionada à comercialização dos lotes, com casos de agressão e expulsão das casas.

    “Eles alugam, obrigam a pessoa a pagar, quando falha o pagamento, eles expulsam ou ameaçam de morte. Eles também obrigam a participar de tráfico de drogas. Eles têm um grupo para fazer esse trabalho de ameaçar e matar”, disse.

    Cinco mil vítimas

    As investigações que resultaram na Operação "Cidade das Trevas" começaram em janeiro pelo DRCO. Conforme o levantamento, além de vender terrenos das invasões, o grupo também comandava o tráfico de drogas na área. Com as prisões, a expectativa é que haja redução de casos de violência na região.

    “Tiramos de circulação aqueles indivíduos que estavam ameaçando vítimas. O Estado entrou, e a Polícia Militar manteve o policiamento e está com as viaturas lá, saturando”, enfatizou o subcomandante-geral da Polícia Militar, coronel Silvio Mouzinho.

    De acordo com o DRCO, cerca de cinco mil pessoas que moram nessas duas ocupações irregulares eram exploradas pelo grupo, que é comandado de dentro do sistema prisional. “Essa é só a primeira fase de várias. A gente sabe que os líderes estão nos presídios e dão ordem para esses, que são o segundo escalão. A gente que estuda o crime organizado percebe que o início das milícias é quando a gente consegue eliminar com mais vigor e é isso que estamos fazendo, para evitar que ocorra aqui como acontece no Rio de Janeiro”, afirmou o diretor do DRCO, delegado Sinval Barroso.

    Durante a operação, o Detran-AM e a Polícia Militar montaram barreiras de fiscalização na área na tentativa de evitar a fuga de suspeitos. Pela manhã, quando a ação ocorreu, foram removidos 22 veículos irregulares e aplicadas 55 multas.

    *Com informações da assessoria.

    Leia mais

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Suspeitos de comandar milícia são presos na 'Cidade das Luzes', no AM

    Forças de segurança do Amazonas deflagram operação 'Cidade das Trevas'