atendimento psicossocial


Famílias dos mortos em rebelião nos presídios do AM são ouvidas

Seap e IML atenderam famílias nesta terça-feira (28)

O IML continua sem estrutura para armazenar e identificar os corpos
O IML continua sem estrutura para armazenar e identificar os corpos | Foto: Josemar Antunes/Em Tempo

Manaus - 39 famílias dos detentos mortos nas unidades prisionais durante a última rebelião, iniciada na tarde do último domingo (26) e que continuou na segunda (27), em Manaus, foram ouvidas por equipes de atendimento psicossocial nesta terça (28). A informação foi divulgada pela assessoria da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). 

Dos mortos na segunda, total 40, resta apenas uma família para as equipes concluírem a etapa de apresentação da documentação do representante familiar e do falecido para auxiliar na identificação, garante a Seap e o Instituto Médico Legal (IML). 

Viatura do IML remove corpos de detentos mortos na rebelião
Viatura do IML remove corpos de detentos mortos na rebelião | Foto: Josemar Antunes/Em Tempo

Mortos

Confira a lista dos 40 nomes confirmada pela Seap, Secretária de Segurança Pública (SSP-AM) e Governo do Estado do Amazonas, além de conferir, em primeira mão, o perfil prisional de cada um deles. Clique no link: Currículo do crime – Veja perfil dos mortos em novo massacre no AM

Dificuldades no IML 

Parecido com o que aconteceu na rebelião de 2017, que resultou na morte de 56 detentos, o IML do Amazonas continua sem estrutura para armazenar e identificar os 40 corpos dos detentos vítimas do massacre desta segunda-feira (27), nas unidades prisionais do Estado.

Caminhão frigorífico no IML
Caminhão frigorífico no IML | Foto: Josemar Antunes/Em Tempo

Devido ao grande número de detentos mortos, o governo alugou um caminhão frigorifico para armazenar os corpos. O IML, único do estado do Amazonas, possui apenas 20 câmaras frigoríficas e não suporta a demanda. Além disso, a estrutura do instituto e do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) precisa adequar às instalações físicas e realizar concurso público para a contratação de mais peritos criminais. 

Operação "Fecha Quartel"

Na manhã desta terça-feira (28), o tenente-coronel PM Ronaldo Brito, subcomandante do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) e responsável pela Operação “Fecha Quartel”, afirmou que a população deve ficar tranquila em relação às notícias falsas que circulam nas redes sociais após o massacre nos complexos prisionais que ocorreram no domingo (26) e na última segunda-feira (27). 

Leia mais:

Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

IML tem dificuldades em liberar corpos de detentos de massacre no AM

Em meio à crise nos presídios, PM-AM pede ‘tranquilidade’ da população