Fonte: OpenWeather

    Tiros


    Estudante é baleada dentro de escola em Manaus

    A menina foi socorrida e levada para o Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz

    A escola fica localizada no Santa Etelvina | Foto: Reprodução

    Manaus - Uma estudante de 13 anos foi baleada dentro da escola Estadual Professora Eliana Pacheco, rua Rio Arino, Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus. O fato aconteceu na manhã desta quinta-feira (6). O disparo foi efetuado por outra aluna, de 14 anos.

    Após o disparo, teve correria entre alunos e professores da instituição de ensino. A jovem baleada foi socorrida e levada ao Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Abdel Rodrigues, também na Zona Norte. As aulas foram suspensas pela direção da escola. 

    Um homem de 38 anos, que é voluntário de um projeto de jiu-jitsu na escola, foi preso durante a ocorrência. Com ele, a polícia encontrou uma pistola semiautomática calibre ponto 380. A aluna que realizou o disparo também foi detida.

    As aulas foram suspensas pela direção da escola
    As aulas foram suspensas pela direção da escola | Foto: Josemar Antunes

    De acordo com informações da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a arma foi encontrada com o professor no momento que os policiais realizavam buscas no local. 

    "Conversamos com a aluna que fez o disparo e ela disse que a arma estava em um dos banheiros da unidade, mas não encontramos no local. Em seguida, ela disse que alguém já teria tirado a pistola do local. Quando estávamos saindo encontramos o professor com a arma na cintura e o prendemos", contou um policial.

    Arma usada no crime
    Arma usada no crime | Foto: Divulgação

    A adolescente relatou aos policiais que o tiro foi acidental. "Em depoimento, ela disse que a arma foi deixada no apartamento dela pelo namorado. Ela levou a pistola na mochila e, ao manusear, acabou disparando de forma acidental no pé da outra aluna", disse. 

    Segundo a polícia, o namorado da adolescente apreendida é um traficante de drogas que atua na área do Viver Melhor 2. Até o momento ele não foi localizado.

    O secretário adjunto da Seduc-AM, Bibiano Filho, esteve na escola e caracterizou a situação como um caso atípico. "Por conta desse incidente, vamos intensificar a segurança na escola, mas esse foi  um fato isolado", informou. 

    A arma foi levada para o 26ºDIP
    A arma foi levada para o 26ºDIP | Foto: Josemar Antunes

    Pais preocupados

    A notícia do tiroteio deixou pais dos alunos preocupados. Foi o caso do autônomo Geovani Cardiso, de 36 anos, que deixou um local de prova ao receber mensagens pelas redes sociais.

    "Fiquei sabendo do ocorrido pelo Facebook. Essa escola é boa e fiquei surpreso com a notícia. A minha filha tem 12 anos e vou tirá-la da escola. A gente sai para trabalhar e não sabe se volta, mas quando envolve filhos a situação fica mais difícil de encarar", disse. 

    Secretário adjunto da Seduc-AM, Bibiano Filho
    Secretário adjunto da Seduc-AM, Bibiano Filho | Foto: Josemar Antunes

    Voluntário de jiu-jitsu se defende 

    O professor se defendeu da acusação e afirmou que tinha encontrado a arma e estava levando para entregar na secretaria do colégio.

    "Cheguei na escola e quando fui pegar os alunos para começar a aula ouvimos os disparos. Depois começamos a procurar pela arma nos arredores da unidade. Acabei encontrado e coloquei na cintura, mas quando estava indo para a secretaria a polícia me prendeu", disse o professor. Ele acrescentou que não conhece a aula que foi baleada.

    O homem foi levado para o 26º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e a adolescente para a Delegacia Especializada em Apurações de Atos Infracionais (Deaai).

    Em nota, a Seduc-AM informou que está prestando toda a assistência às famílias das duas estudantes envolvidas na ocorrência.

    Leia mais: 

    'Carlinhos' é morto após ser sequestrado por 20 criminosos, em Manaus

    Advogado é autuado por tráfico de drogas e deve dormir na delegacia

    Advogado é detido com drogas em presídio de Manaus