Fonte: OpenWeather

    Audácia


    Presa em Manaus, 'Dama do Tráfico' engana polícia com documento falso

    Com a descoberta, a polícia encontrou a extensa ficha criminal da suspeita. Além do tráfico de drogas, ela aplicava golpes e era conhecida pelas praticas de estelionato

    A suspeita foi autuada em flagrante por tráfico de drogas e por uso de documento falso.
    A suspeita foi autuada em flagrante por tráfico de drogas e por uso de documento falso. | Foto: Divulgação Polícia Civil

    Manaus - Após quase 24 horas da prisão da "Dama do Tráfico", a Polícia Civil do Amazonas descobriu que a mulher apresentou documentos falsos. Ela foi apresentada à imprensa, na tarde desta quarta-feira (10), como Francilene de Souza Moraes, de 45 anos, mas na verdade se chama Eliza Mara Santos Galusso e tem 43 anos. 

    Inicialmente a polícia informou que a mulher não possuía ficha criminal, mas ao descobrir a verdadeira identidade da suspeita a equipe de investigação constatou a periculosidade dela. Além do tráfico de drogas, Eliza também aplicava golpes e era conhecida pelas praticas de estelionato. 

    “Em continuidade as diligências, já no fim da tarde desta quarta-feira, conseguimos descobrir o verdadeiro nome da infratora. Após sabermos o verdadeiro nome da mulher, foi constato que ela possuí um mandado de prisão em nome por estelionato, além de seis passagens pela polícia pelo mesmo crime”, justificou o delegado Ricardo Cunha, titular do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

    Prisão 

    A prisão da "Dama do Tráfico" foi efetuada na rua Tefé, comunidade Aliança com Deus, bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus. Com ela foram encontradas drogas avaliadas em R$ 60 mil, além de balanças de precisão e uma máquina de cartão de crédito.

    Novas autuações 

    Eliza Mara foi autuada em flagrante por tráfico de drogas e por uso de documento falso. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio do 13º DIP, a infratora será levada para audiência de custódia .

    Após a audiência, Eliza será levada para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), em razão do mandado de prisão.