Fonte: OpenWeather

    Crime em Manaus


    Homem deixa mulher e filho em casa e sai para encontro com a morte

    Alguns moradores relataram que Wellison era "olheiro" de traficantes da área"

    O crime ocorreu por volta das 8h30, após Wellison ser chamado em casa por uma pessoa desconhecida.
    O crime ocorreu por volta das 8h30, após Wellison ser chamado em casa por uma pessoa desconhecida. | Foto: Josemar Antunes

    Manaus - Wellison Maia da Silva, de 27 anos, foi executado com três tiros, na manhã desta terça-feira (24), em um rip-rap na rua Prosperidade, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus.

    Segundo informações da 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), o crime ocorreu por volta das 8h30, após Wellison ser chamado em casa por uma pessoa desconhecida. 

    "Wellison estava em casa com a esposa e o filho, quando foi procurado por um homem - que havia pedido para encontrá-lo. Ao chegar no encontro marcado, Wellison foi alvejado a tiros e morreu na hora. Alguns moradores relataram que Wellison era "olheiro" de traficantes da área", disse um policial militar, que preferiu não se identificar.

    De acordo com o delegado Luiz Rocha, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), dois homens desconhecidos chegaram ao local e estacionaram o carro na entrada do rip-rap. A Vítima tinha passagem pela polícia e a motivação do crime é desconhecida.

    "Dois homens chegaram em um carro e estacionaram no início do rip-rap. Um deles desembarcou para executar Wellison. A família informou que Wellison tinha passagem, mas não soube dizer qual antecedente criminal. Na delegacia vamos fazer uma pesquisa e traçar o perfil da vítima. O motivo do crime é desconhecido, mas não podemos descartar o possível envolvimento com o tráfico de drogas", explicou o delegado Luiz Rocha. 

    Conforme informações da perícia criminal, do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), Wellison foi atingido com três tiros que feriram pescoço, costas e cabeça. 

    O corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML), para exames de necropsia. O caso será investigado pela DEHS.