Fonte: OpenWeather

    Buscas


    Polícia segue buscas por enteada e padrasto no Monte Horebe, em Manaus

    A menina gravou um vídeo, onde afirma que ela o padrasto estão vivos. Porém, a polícia acredita que a gravação pode ter sido feita antes dela ser morta

    Padrasto e enteada estão desaparecidos desde o dia 16 | Foto: Divulgação

    Manaus – Mesmo após um vídeo, onde Sádia Reis Barros, de 11 anos, afirma que ela e o padrasto, Leilson de Souza Marinho, de 35 anos, estão vivos, a polícia segue as buscas pelos supostos corpos na invasão Monte Horebe, situada no conjunto habitacional Viver Melhor 2, no bairro Lago Azul, na Zona Norte de Manaus. Duas pessoas foram presas durante os trabalhos da polícia na manhã desta quarta-feira (25).

    Na noite de terça-feira (24), o Portal EM TEMPO obteve acesso a dois vídeos, cada um com 30 segundo de duração, onde a menina relata que ela e o homem estão vivos. A menina ainda faz acusações contra a própria mãe. Veja o vídeo no final da matéria

    Nos registros a garota se apresenta e fala que toda a repercussão divulgada na mídia é mentira. Também conta que era abusada por um irmão e a mãe nunca tomou providências. 

    "Quando eu tinha sete anos meu irmão me estuprou, fui contar para minha mãe e ela não acreditou. Quero ficar um pouco longe da minha família, porque minha mãe me batia", diz a criança em um dos vídeos. 

    "A família dele pensa que ele está morto, mas não está. Eu vi ele saindo do Monte Horebe. Minha mãe está mentido e está escondendo ele", relata a garota.  

    Famílias 

    A reportagem procurou a mãe da criança, mas a mulher evitou comentar o caso. Por telefone a responsável da menor demonstrou frieza nas palavras e disse que desconhecer o conteúdo dos vídeos. 

    Já a dona de casa Nilce Souza, de 52 anos, mãe de Leilson de Souza Marinho, 35, padastro da criança, que continua desaparecido, contou que teve acesso aos vídeos, porém ela não tem esperança de encontrar o filho vivo.

     "Meu coração de mãe diz que ele está morto. Se ele estivesse por aí jamais me deixaria preocupada. Estou aflita e passando por muitos problemas.  Meu clamor é que quem souber do paradeiro do corpo do meu filho informe à polícia. Já entreguei tudo nas mãos de Deus e Dele virá a Justiça", lamentou a mãe da vítima.   

    Buscas

    As buscas foram retomadas hoje e conta com apoio de policiais da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPcães), agentes da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Fera e Seaop.

    Durante a ação, dois homens foram presos pelos policiais, sendo um traficante da região e outro em cumprimento ao mandado de prisão preventiva em aberto.

    Os presos foram levados para o 26° Distrito Integrado de Polícia (DIP). Durante a operação, a polícia identificou pessoas fazendo ligações para informar a presença dos policiais na invasão.

    Uma fonte policial informou à reportagem que o vídeo pode ser sido feito antes da menina ter sido morta.

    Investigação

    Conforme a assessoria da Polícia Civil, as investigações sobre os desaparecimentos, que estavam com a Delegacia Especializada em Ordem Política e Social (Deops), foram transferidos para a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

    Entretanto, a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, informou que pode não repassar mais informações sobre o caso para não atrapalhar o trabalho da polícia.

    Entenda o caso

    Leilson e Sádia Reis Barros estão desaparecidos desde a tarde da última segunda-feira (16). Traficantes da área levaram à força Leilson de casa após a enteada acusá-lo de estupro.

    Entretanto, após matar e enterrar Leilson em uma área de mata da invasão, os traficantes teriam descoberto que a menina havia mentido e, por esta razão, também pode ter sido morta. 

    A menina acusa a mãe de esconder a verdade | Autor: Divulgação