Fonte: OpenWeather

    Estupro de vulnerável


    Vídeo: tio dopou, estuprou e matou sobrinha de 14 anos em Manaus

    Além dos crimes de estupro e feminicídio, Anderson Magno também pode responder por desvio de medicamento do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto

    Durante o estupro, Aline acordava e tentava resistir a violência | Foto: Josemar Antunes

    Manaus - O técnico em enfermagem Anderson Magno Barros da Silva, de 40 anos, foi apresentado na manhã desta segunda-feira (7), acusado de estuprar e matar a própria sobrinha dele, a adolescente Aline Alves de Melo, de 14 anos. A jovem foi encontrada nua em cima de uma cama, no imóvel do suspeito situado na rua Cunha Melo, bairro Petrópolis, Zona Sul de Manaus. 

    Anderson foi conduzido para prestar depoimento na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), onde recebeu voz de prisão após o laudo de necropsia no Instituto Médico Legal (IML) apontar que a adolescente foi estuprada. 

    De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, o crime ocorreu na noite de sábado (5), após Anderson ter levado a sobrinha dele para passar em um shopping da capital. Ao retornar para casa, Anderson dopou Aline com aplicação de injeção do medicamento Diazepam (indicado no alívio sintomático da ansiedade, tensão e outras queixas físicas ou psicológicas).

    "No dia do fato, Anderson levou a sobrinha, a ex-companheira e a filha para passear em um shopping. No local, eles jantaram e no retorno para casa Aline se queixou de dores abdominais. Por sua vez, ele injetou uma medicação intravenosa para adormecer a sobrinha. Ao perceber que a adolescente estava adormecida, ele se aproveitou para estuprar. Em determinado momento, a vítima acordou e chutou o tio e tentou tirá-lo de cima dela. Depois de relutar, ela adormeceu e morreu", disse o delegado Paulo Martins. 

    O delegado Rafael Campos, adjunto da DEHS, informou que as investigações iniciaram após a morte da adolescente. "No local, foi constatado que as partes íntimas da adolescente estava com sangramento, indicando violência sexual. O exame de necropsia no Instituto Médico Legal (IML) confirmou o abuso sexual. O tio afirmou que tinha passado a noite na companhia da adolescente e administrado um medicamento pelo fato da sobrinha ter passado mal. Depois de dopar a sobrinha, Anderson Magno aproveitou-se para praticar o estupro", explicou. 

    A autoridade policial destacou, ainda, que durante o estupro, Aline acordava e tentava resistir a violência. Por volta das 5h30, Anderson Magno percebeu que a sobrinha estava com sinais vitais fraco. A adolescente teve morte por asfixia mecânica causada por vômito. 

    Na casa do suspeito, a equipe de investigação encontrou farta medicação
    Na casa do suspeito, a equipe de investigação encontrou farta medicação | Foto: Josemar Antunes

    Na casa do suspeito, a equipe de investigação encontrou farta medicação possivelmente oriundo do hospital. Caso seja comprovado que os medicamentos pertençam ao Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, Anderson Magno deve responder pelo crime de peculato (crime que consiste na subtração ou desvio, mediante abuso de confiança, de dinheiro público ou de coisa móvel apreciável, para proveito próprio ou alheio, por funcionário público que os administra ou guarda).

    Chorando bastante, Anderson Magno preferiu ficar em silêncio e não respondeu aos questionamentos dos repórteres na coletiva de imprensa. 

    Anderson foi indiciado por estupro e feminicídio. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele será levado para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), situado no quilômetro 8 da rodovia federal BR-174, onde permanecerá preso à disposição da Justiça.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Assista a reportagem | Autor: Bárbara Mitoso/ TV Em Tempo