Fonte: OpenWeather

    Se deu mal


    Menor tenta roubar alunos no Canaranas e acaba levando 'peia' deles

    O adolescente usou uma arma de brinquedo para abordar as vítimas

    O menor disse que esta era a primeira vez dele cometendo crime
    O menor disse que esta era a primeira vez dele cometendo crime | Foto: Jhonata Lobato


    Manaus - Dois menores estavam realizando arrastões na avenida Penetração, conjunto Canaranas, Zona Norte de Manaus, na noite desta sexta-feira (8), quando um deles foi perseguido e agredido pela população. O alvo dos bandidos eram alunos da Escola Estadual Cid Cabral da Silva.

    Segundo a polícia, uma das vítimas percebeu que a dupla usava uma arma de brinquedo e gritou pedindo ajuda de outros colegas. Os dois suspeitos saíram correndo, mas um deles foi alcançado.

    Em entrevista ao Em Tempo, uma aluna de 17 anos, disse que a dupla de criminosos exigiu que ela entregasse o celular, mas ela não estava com o aparelho. Com medo do que pudesse acontecer, ela entregou apenas o dinheiro que carregava na mochila.

    Após roubá-la, os dois adolescentes seguiram abordando outros alunos que passavam na rua em direção à escola. 

    "Eles abordaram um grupo de amigos meus e conseguiram pegar um celular. Quando uma das pessoas entregou o aparelho, ela percebeu que a arma era de brinquedo. A galera partiu pra briga.  O comparsa abandonou a moto e fugiu. Já o outro apanhou bastante do povo. Pensei até que iriam matar ele", explicou a vítima.

    A guarnição da 6ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foi até o local e apreendeu o menor, que havia sido imobilizado pela população. Ele foi encaminhado ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Danilo Coreia, para fazer curativos.

    Depois do atendimento, ele foi encaminhado ao 6° Distrito Integrado de Polícia (DIP). O jovem, posteriormente, vai para a Delegação Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI).

    O suspeito ainda contou à reportagem que esta seria a sua primeira vez cometendo assaltos. O menor informou ainda que a moto pertence ao comparsa - que seria o suposto idealizador do crime.