Fonte: OpenWeather

    Maus-tratos


    Cachorro é agredido com paulada em condomínio no bairro Compensa

    O animal foi socorrido e medicado por moradores, que ficaram revoltados com a atitude do agressor - filho de um militar

    Imagem meramente ilustrativa | Foto: Divulgação

    Imagem meramente ilustrativa
    Imagem meramente ilustrativa | Foto: Divulgação

    Manaus - Um cachorro de rua dócil, adotado há aproximadamente dois meses por moradores de um condomínio, localizado na rua Aurélio B de Holanda, conjunto dos Sargentos, bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, foi agredido brutalmente com uma paulada desferida pelo filho de um militar, que também mora naquele local. A ação criminosa aconteceu na terça-feira (26), por volta das 17h, e foi presenciada por mais de dez pessoas - que ficaram revoltadas com o fato.

    Uma das testemunhas, um homem de 46 anos, conta que o autor da paulada saiu da casa, onde mora, portando um pedaço de madeira grande. Então atraiu o cachorro, que veio até o homem saltitante na intenção de brincar, mas foi surpreendido por uma paulada, que atingiu o lado direito das costas do animal - deixando grande hematoma, além de uma ferida na perna.

    “Foi um ato covarde. Quando eu vi a paulada, pensei que o cachorro tinha morrido. Imediatamente eu e outros moradores o socorremos e o medicamos. Acionamos a polícia [8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom)], que veio até o local e nos orientou a formalizar um Boletim de Ocorrência (BO), na Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema)”, contou o morador.

    A testemunha relatou que o autor, ao ser questionado pelos moradores, alegou que o cachorro poderia ter mordido o cachorro dele, da raça Dálmata, que estava solto e isso teria motivado a agressão. “Se você quer resolver isso venha até a minha casa”, disparou o homem ao morador.

    Um Boletim de Ocorrência foi formalizado no 8º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e transferido para a Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), que investigará o caso. A identidade do agressor não foi revelada à reportagem. 

    Nota

    Em nota enviada pela Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Amazonas, a delegada Carla Biaggi, titular da Dema, informou que, assim que a ocorrência chegar na especializada e o homem for identificado, será feito um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). A autoridade policial destacou, ainda, que a pena por maus-tratos varia de três meses a um ano de prisão.