Fonte: OpenWeather

    Desaparecida


    Jovem some após ser convidada para trabalhar em barco no Amazonas

    Rianne Simão trabalhava em uma embarcação e disse que pretendia voltar para Manaus, onde passaria a virada do ano com a família

    Rianne Simão estava trabalhando em uma embarcação
    Rianne Simão estava trabalhando em uma embarcação | Foto: Arquivo Pessoal

    Manaus - Já são 16 dias de procura por Rianne Stephanie Simão, de 26 anos. A jovem desapareceu enquanto estava trabalhando em uma embarcação. Ela viajou a convite de uma amiga, o objetivo era juntar dinheiro para comprar coisas para o filho. Rianne pretendia voltar para Manaus e passar o fim de ano em família, no entanto, a última vez que entrou em contato com os parentes foi no dia 20 de dezembro. 

    A mãe, dona Izoneide Simão Moreira, explica que a família enfrentava um momento financeiro bem complicado. Por isso, Rianne aceitou a proposta de uma amiga (que a família não conhece) para trabalhar nesta embarcação como cozinheira e ajudante de serviços gerais.

    "Ela ia passar 20 dias trabalhando nesse barco e ia voltar para casa para passar o Natal com a família", relata a mãe. 

    Todos os dias, mãe e filha mantinham contato. Rianne se comunicava com Izoneide a cada cidade que passava. Segundo informações dadas por ela, o barco passou pelos municípios de Manacapuru, Codajás, Coari, Maraã e Japurá. 

    No dia 19 de dezembro, Rianne mandou uma mensagem para a mãe, dizendo que iria se atrasar, pois o barco teve um problema no motor de luz. A embarcação iria encostar em Coari, entregar as mercadorias atrasadas, e, só então, voltaria para Manaus. 

    Não há registros da embarcação onde Rianne foi trabalhar
    Não há registros da embarcação onde Rianne foi trabalhar | Foto: Arquivo Pessoal

    Rianne disse que seguiriam viagem por dentro do Rio Japurá, onde não tem sinal, mas deixou a família alerta sobre o horário e data de sua chegada. A previsão era que o barco chegasse na capital às 15h do dia 29. 

    Um dia depois de avisar a mãe, a jovem ainda chegou a mandar uma mensagem desejando "bom dia" e novamente informando que seguiria viagem. "Desde então, não temos mais notícias dela", conta Izoneide. 

    Embarcação

    O nome da embarcação em que ela estava é "Vingador X". A família procurou os registros deste barco nos portos de Manaus, mas não consta nada com este nome.

    "Não tem barco com esse nome, ela pode ter se enganado ou a pessoa que falou o nome errado", disse a mãe.

    Há apenas embarcações com os nomes "Vencedor X", não "Vingador X". Os profissionais dos portos informaram à família que o nome pode ser fictício, não o nome cadastrado na capitania dos portos.

    Sem informações 

    Algumas pessoas chegaram a cogitar a possibilidade de que ela tenha se envolvido com a atividade de garimpo, mas até o momento não há nada concreto que aponte o paradeiro de Rianne. 

    Izoneide conta que a família tem sofrido muito com a situação. O pai de Rianne até passou mal por conta do desaparecimento da filha. A mãe acredita que a filha só aceitou ir nesta viagem porque estava desempregada e precisava de dinheiro para pagar aluguel e comprar as coisas para o filho, que tem 4 anos de idade. 

    Se você souber algo sobre o paradeiro de Rianne, entre em contato com a família por meio do telefone (92) 99464-2400.