Fonte: OpenWeather

    Homicídio


    Caixa d'água onde mulher foi encontrada morta é descartada

    Após encontrarem a mulher em estado de decomposição dentro da caixa d'água, os moradores do prédio de quitinetes limparam e jogaram o objeto fora

    A vítima foi encontrada em estado de decomposição dentro de uma caixa d'água no bairro São José Operário
    A vítima foi encontrada em estado de decomposição dentro de uma caixa d'água no bairro São José Operário | Foto: Divulgação

    Manaus - Moradores de um prédio de quitinetes, situado na rua Cacau Pirêra, no bairro São José, Zona Norte de Manaus, limparam e descartaram a caixa d'água onde uma mulher foi encontrada morta em estado de decomposição na noite da última segunda-feira (6).

    O Em Tempo voltou até o local do crime, mas o caso ainda é mistério até para os próprios moradores daquela rua, que dizem desconhecer quem é o idoso dono da quitinete onde a mulher teria sido vista algumas vezes. Eles também dizem não conhecer a vítima, que ainda não foi identificada no Instituto Médico Legal (IML).

    Um morador da mesma rua onde aconteceu o crime, que preferiu não se identificar, contou à reportagem que os moradores do prédio de quitinetes limparam a caixa d'água e depois a jogaram no lixo. O homem também indicou ao Em Tempo o endereço da proprietária do prédio, mas no local não havia ninguém.

    No prédio onde a vítima foi encontrada, todas as portas estavam fechadas, dentre elas algumas com cadeados e correntes. Nenhum morador foi encontrado. 

    Sem identificação

    Na tarde desta quarta-feira (8), a reportagem foi até o prédio do IML e a mulher ainda não havia sido identificada por familiares. No livro de ocorrências do órgão constam apenas as características físicas dela: sexo feminino, cor parda, idade entre 20 a 25 anos, uma tatuagem nas costas com a descrição “Geisiane”, uma tatuagem no lado esquerdo do corpo com o desenho de uma flor vermelha e outra tatuagem na coxa esquerda com um desenho de borboleta.

    A causa da morte ainda é indeterminada e só poderá ser confirmada após a realização de exames.

    Relembre o caso

    Na noite da última segunda-feira (6), foram os próprios moradores que desconfiaram do cheiro forte vindo da caixa d'água e encontraram o corpo da mulher. Conforme a polícia, a vítima estaria morta há, pelo menos, dois dias. Ela estava de bruços dentro da caixa, que estava tampada e totalmente contaminada com sangue.

    Testemunhas informaram que a mulher seria acompanhante de um dos moradores da vila e que eles costumavam consumir bebidas e entorpecentes no local. O caso é investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).