Fonte: OpenWeather

    Assassinato


    'Alicate' é morto com três tiros por traficantes do bairro São José

    Moradores da área afirmam que "Alicate" foi morto por engano. O alvo, segundo eles, era outra pessoa, mas ela teria conseguido escapar dos traficantes

    O crime aconteceu na rua Marginal, no bairro São José
    O crime aconteceu na rua Marginal, no bairro São José | Foto: Kennedson Paz

    Manaus - Fabio Willy Santos de Alencar, de 43 anos, conhecido como “Alicate”, foi assassinado com 3 tiros na rua Marginal, no bairro São José, Zona Leste da capital amazonense. O crime aconteceu na manhã desta sexta-feira (10), por volta de 5h. A suspeita é que os autores do crime sejam traficantes da área. 

    Um morador do bairro, que preferiu não se identificar, relatou à equipe de reportagem que a vítima era inocente. O alvo, segundo a testemunha, seria outra pessoa que estava na praça, mas ela teria conseguido escapar dos pistoleiros. 

    “Acordamos com o barulho dos tiros. O Alicate morreu inocente. Ele era bem conhecido no bairro e sempre estava na praça, mas se envolvia em problemas. O alvo dos pistoleiros era outra pessoa que estava no local, porém essa pessoa conseguiu escapar. Porém, o Alicate não conseguiu correr e mataram ele”, lamentou o morador.

    O crime será investigado pela DEHS
    O crime será investigado pela DEHS | Foto: Kennedson Paz

    Após a execução, os moradores da região acionaram a Policia Militar, que fez o isolamento da área até a chegada das equipes de investigações.

    Agentes do Instituto de Criminalística (IC) alisaram a cena do crime, capturaram imagens e colheram informações, que irão ajudar a esclarecer esse fato criminoso.

    Familiares da vítima compareceram na sede Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), responsável pela investigação, e informaram que, após um quadro intenso de depressão, Fábio vivia a maior parte do tempo fora de casa. 

    Devido ao problema, ele passou a consumir bebidas alcoólicas e usar drogas. A família relatou que desconhece os motivos do crime, mas acredita na inocência de Alicate.