Fonte: OpenWeather

    Confesso


    ‘Homem de confiança’ diz que matou engenheira por dívidas de agiotagem

    Jeferson Borges era responsável por fazer as cobranças para a engenheira. Ele disse, em depoimento, que cometeu o crime porque estava sendo pressionado

    A engenheira foi encontrada morta o dia 4 deste mês dentro do próprio carro no 28 de Agosto
    A engenheira foi encontrada morta o dia 4 deste mês dentro do próprio carro no 28 de Agosto | Foto: Kennedson Paz

    Manaus – O suspeito de matar a engenheira e empresária Andréia Dafavari Vasconcelos, de 46 anos, era funcionário dela e responsável por fazer cobranças referentes a agiotagem para a vítima. O corpo da mulher foi encontrado dentro do próprio carro no estacionamento do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul da cidade, no dia 4 deste mês.

    Jeferson Borges de Souza, de 34 anos, foi preso na tarde de quinta-feira (9), no bairro Cidade Nova, Zona Norte. Na delegacia, ele confessou o assassinato.

    Em coletiva de imprensa, na manhã desta sexta-feira (10), o delegado Paulo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), afirmou que o autor era funcionário da vítima.

    “Andréia trabalhava com empréstimos pessoais e havia uma carteira de clientes no qual o Jeferson e uma colega eram os responsáveis pelas cobranças. Porém, alguns clientes não faziam o pagamento nos dias combinados. Com isso, a empresária começou a se aborrecer e pressionar Jeferson para receber o dinheiro atrasado”, explicou Martins.

    Irritado com a situação, o homem foi até a residência da vítima, na tarde de sexta-feira (4), por volta de 17h30. Jeferson convenceu a mulher para acompanhá-lo até o condomínio de um dos devedores, situado no bairro Santo Agostinho, Zona Oeste.

    Ainda conforme o delegado, a ação do suspeito foi gravada por câmeras de segurança do condomínio.

    “Pelas imagens conseguimos perceber que ele entrou no banco de trás do carro. Logo em seguida, o veículo começou a alarmar e buzinar. Consideramos que tenha sido o momento no qual ele estaria enforcando a vítima. A empresária se debateu para tentar se livrar de Jeferson, mas não conseguiu. Ele utilizou um cinto de pano para enforcá-la”, disse autoridade.

    Percurso com o corpo

    Após a morte de Andréia, Jeferson empurrou o corpo da vítima para o banco de trás do veículo e saiu no sentido do bairro Tarumã. A intenção, segundo a polícia, era descartar o corpo da vítima na região, mas como não conseguiu, resolveu abandonar o veículo no estacionamento do 28 de Agosto.

     Para sair do local, Jeferson fingiu naturalidade e solicitou uma corrida de um mototaxista para o condomínio no bairro Santo Agostinho, onde tinha deixado sua motocicleta horas antes do crime.

    No decorrer das investigações, a polícia localizou o mototaxista. Em depoimento, ele contou onde havia deixado Jeferson. “Com isso, felizmente, chegamos a autoria do crime”, falou Paulo Martins.

    Jeferson foi indiciado por homicídio e após os procedimentos legais na DEHS, ele será conduzido para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch Reis, situado bairro São Francisco, Zona Sul da capital.