Fonte: OpenWeather

    Operação


    Pela 2ª vez, traficante 'Plenitude', da FDN, é preso em imóvel de luxo

    "Plenitude" é apontado pela polícia como braço direito de João Branco. Além disso, ele também seria ligado à Michele Paes, líder do tráfico na Invasão Monte Horebe

    Plenitude, durante apresentação após ser preso em 2019 | Foto: Divulgação/PMAM

    Mais de 500 policiais militares e civis estiveram nas ruas para cumprir mandados relacionados ao tráfico  de drogas
    Mais de 500 policiais militares e civis estiveram nas ruas para cumprir mandados relacionados ao tráfico de drogas | Foto: Divulgação/SSP-AM

    Manaus -  15 pessoas foram presas durante a operação “Domínio da Lei”, deflagrada na capital nesta quarta-feira (15), pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), dentre eles o principal mandante de homicídios ocorridos na capital Francisco Gleison Jucá da Rocha, o “Plenitude”, apontado como braço direito do narcotraficante João Pinto Carioca, o "João Branco", e responsável pela logística da facção criminosa Família do Norte (FDN). Das 15 prisões, três foram efetuadas dentro do sistema prisional.

    O balanço da operação Domínio da Lei foi divulgado em coletiva de imprensa realizada às 11h, no CICC
    O balanço da operação Domínio da Lei foi divulgado em coletiva de imprensa realizada às 11h, no CICC | Foto: Bianca Ribeiro

    O balanço da operação foi apresentado em coletiva de imprensa realizada às  11h, na base Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na avenida André Araújo, no bairro Aleixo, Zona Sul de Manaus.

    Segundo o secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louismar Bonates, a operação tinha como intuito apurar os homicídios cometidos na cidade e afetar o financeiro do tráfico de drogas. O secretário informou que “Plenitude” foi o principal mandante dos últimos homicídios ocorridos na capital. Com ele, a polícia apreendeu dois veículos, R$ 2.347 e uma pistola tauros ponto 58 com carregador.

    “Plenitude” foi preso em um condomínio de luxo no bairro Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, em cumprimento a mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado e tráfico de drogas.

    Pela segunda vez é preso em condomínio de luxo

    Plenitude, durante apresentação após ser preso em 2019
    Plenitude, durante apresentação após ser preso em 2019 | Foto: Divulgação/PMAM

    Na madrugada do dia 25 de abril de 2019, Plenitude foi preso em flagrante com armas e munições também em um condomínio de luxo. Desta vez, o imóvel estava situado na avenida Torquato Tapajós, no bairro Colônia Terra Nova, Zona Norte de Manaus. Na ocasião,  Dentro do apartamento, no condomínio River Park, os policiais militares da Rocam encontraram uma pistola calibre 380 milímetros, um rifle calibre ponto 44 (sem numeração), um revólver calibre 22, e 18 munições de 380 milímetros.

    Monte Horebe 

    Durante a operação, Michele Paes de Oliveira também foi presa. Segundo o secretário, ela é uma das líderes do tráfico de drogas na invasão Monte Horebe, na Zona Norte de Manaus, além de ser outra mandante de homicídios na capital.

    Michele foi presa em um condomínio no bairro Lírio do Vale, Zona Oeste de Manaus, em cumprimento a mandado de prisão por homicídio qualificado e tráfico de drogas. No último dia 7 de janeiro, ela foi vítima de uma tentativa de homicídio em um condomínio no bairro Lago Azul, Zona Norte. Na ocasião, uma criança, filha dela, e um dos seguranças pessoais foram baleados.

    Leandro Cristopher Ribeiro da Silva, o segurança de Michele, também foi preso em cumprimento a mandado de prisão por homicídio qualificado e tráfico de drogas. Já Cléber de Castro Silva, o “Coroa”, é apontado como o responsável por fornecer armas para criminosos e cuidar da logística de uma organização criminosa, que a polícia não revelou qual.

    Sistema Prisional

    Dentro do sistema prisional, foram presos três pessoas apontadas como mandantes de homicídios na capital. São eles: Jefferson Renan Santos de Souza, o “Jhonny Playboy”; Geymison Marques de Oliveira, o “GG”, e Jefferson da Silva Maldes. Todos eles tinham mandados de prisão pelo crime de homicídio qualificado e tráfico de drogas.

    “Foram cumpridos 38 mandados de busca e apreensão e de prisão. Obtivemos 100% de êxito, pois conseguimos realizar essas 15 prisões que buscávamos. Esse trabalho não vai parar por aqui e vamos continuar coordenando para que possamos solucionar todos os casos pendentes. A operação foi voltada não só para uma facção criminosa e sim para todos do mundo do crime”, pontuou o secretário.

    O delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas, Lázaro Ramos, explicou que as investigações, que resultaram na operação, iniciaram há mais de três meses para monitorar todos os alvos para que fosse possível prender os principais integrantes de organizações criminosas. Ramos destacou que o trabalho não vai parar e que muitos materiais foram apreendidos e testemunhas serão ouvidas para nortear as investigações.

    Bonates disse que, com as prisões, é esperado pelas autoridades uma redução no índice de homicídios, mas caso isso não aconteça serão realizadas novas ações policiais. Questionado pela imprensa sobre os 60 homicídios registrados nos primeiros 15 dias do ano, o secretário disse que a situação não fugiu do controle das autoridades.

    “Não fugiu do nosso controle. Esse ano, em 11 dias, apreendemos mais de uma tonelada de drogas e sabíamos que isso poderia influenciar em outros crimes. Foi o que aconteceu. Com as prisões dessas pessoas esperamos que sejam reduzidos. Estamos intensificando as ações de segurança pública em conjunto com os governos estadual e federal”, argumentou.

    O balanço da operação Domínio da Lei foi divulgado em coletiva de imprensa realizada às 11h, no CICC
    O balanço da operação Domínio da Lei foi divulgado em coletiva de imprensa realizada às 11h, no CICC | Foto: Bianca Ribeiro