Fonte: OpenWeather

    Homicídio


    Mais um baleado durante conflito entre facções morre no 28 de Agosto

    De acordo com familiares, Thiago teria saído para comprar refrigerante e acabou sendo baleado durante o conflito entre facções criminosas

    O caso está sendo investigando pela DEHS | Foto: Kennedson Paz

    Manaus - Thiago Gomes da Silva, de 18 anos, baleado durante tiroteio entre facções criminosas, na noite de quarta-feira (29), na rua Marquês da Silveira com a avenida Parintins, entre os bairros Petrópolis e Cachoeirinha, na Zona Sul de Manaus, morreu na manhã desta Sexta-feira (31) no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

    Segundo informações, Thiago seria o alvo dos atiradores. Entretanto, a informação ainda não foi confirmada pela equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), responsável pela investigação.

    No hospital, familiares falaram rapidamente com a imprensa e afirmaram que Thiago teria saído de casa, no dia do fato, para comprar refrigerante e acabou baleado.

    O caso

    Conforme testemunhas, homens fortemente armados atiram contra um grupo rival e acertaram as vítimas na localidade.

    Além de Thiago, o sargento Anderson Argelin, servidor da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), que passava pelo local no momento do tiroteio, Luiz Jorge Oliveira, de 44 anos; Claison Rodrigues de Lima, 18 anos, e a adolescente Lívia da Silva Leite, 15 de anos, também atingidos pelos tiros. A garota foi baleada na cabeça e também morreu 28 de Agosto. 

    No mesmo dia, o sargento Anderson e Claison Rodrigues, feridos nas pernas, receberam alta médica. Luiz Jorge também foi levado para o 28 de Agosto, mas não há informações sobre o estado de saúde dele.

    De acordo com policiais da 1ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), uma das corporações que atendeu à ocorrência, ocupantes de um veículo modelo Voyage, cor cinza e placa OAK-6092, desceram e efetuaram vários disparos nas pessoas que estavam em um bar.

    No entanto, um morador da área, que, por questão de segurança, pediu anonimato, informou que o alvo dos atiradores seria um homem, não identificado, que estava pichando um muro da localidade com a sigla da facção criminosa Comando Vermelho (CV).

    Ainda segundo a testemunha, ao presenciarem a cena, os criminosos retornaram com o veículo e atiraram contra o pichador, porém os disparos acertaram as vítimas inocentes.