Fonte: OpenWeather

    Brutalidade


    Dez mulheres são mortas em Manaus só no início de 2020

    Dois últimos casos foram da Beatriz Lacerda, morta no último domingo (2) e de Sabrina da Silva, nesta terça-feira (4)

    Manaus - Só no início de 2020 dez mulheres foram encontradas mortas em Manaus. O que mais chama a atenção nas mortes são as formas do descarte do corpo. Uma foi encontrada em uma caixa d'água, outras encontradas em áreas de difícil acesso com marcas de tortura e ainda outras com sinais de estrangulamento. Os dois últimos casos foram da Beatriz Lacerda, morta no último domingo (2) e da Sabrina da Silva, nesta terça-feira (4).

    Sabrina da Silva Ferreira, de 25 anos, foi assassinada com seis tiros nesta terça-feira (4) após uma briga em um bar. O crime ocorreu no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus. Um adolescente de 17 anos, que estava com a mulher, foi baleado nas costas.

    O adolescente relatou a polícia que ele e Sabrina estavam em um bar nas proximidades do Clube Rio Negro, no bairro Centro, quando aconteceu um desentendimento no local. Para evitar novos problemas, eles acionaram um motorista de aplicativos e saíram do local.

    Durante o trajeto, um carro, de modelo e placa não identificados, seguiu as vítimas até o bairro Compensa. Quando o adolescente e Sabrina saíram do carro foram alvejados.

    As vítimas foram socorridas e levadas para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias, por volta de 4h30. No entanto, a Sabrina não resistiu aos ferimentos e morreu ainda durante a madrugada.

    O adolescente foi transferido para o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul. O estado de saúde dele é estável e não corre risco de morte. 

    Outro caso foi Beatriz Lacerda, 18, conhecida como “Cris” ou “Delta”, morta com sete tiros na madrugada do último o (2). Segundo familiares, a jovem era garota de programa e amiga de “Barbie do Tráfico” que também foi morta há menos de quatro meses por envolvimento com tráfico de drogas.

    Corpo de Beatriz foi encontrado em uma área de mata nas proximidades de um condomínio na avenida Waldemar Jardim Maués, Colônia Japonesa, Zona Norte da cidade com marcas de tiros no rosto e peito.

    Conforme um levantamento feito pelo Em Tempo, a capital amazonense registrou até a tarde desta terça-feira (4) 132 mortes violentas só no início de 2020. Só em janeiro foram 117 registros.

    As polícias civil e militar investigam de forma conjunta para saber os autores do crime.

    *Colaborou Kennedson Paz