Sequestro


Jovem de 14 anos quase morre por ser apontada como 'X-9'

Segundo informações da polícia, Rayssa foi sequestrada por entregar facções rivais

Rayssa só conseguiu sobreviver porque disse aos bandidos que estava grávida | Foto: Divulgação

Manaus - Após a prisão de Andrey da Silva e Souza, de 19 anos, vulgo “Djeime” na última terça-feira (4), a Polícia Civil descobriu o porquê do suspeito ter sequestrado e tentado matar uma adolescente de 14 anos, que era sua ex-namorada, Rayssa Brito do Nascimento. Segundo a polícia, Rayssa estaria repassando informações para facções rivais.

Durante a manhã do dia 21 de janeiro, cinco criminosos armados invadiram a residência de Rayssa, localizada na rua 45 do conjunto Mutirão, bairro Novo Aleixo, Zona Norte, e a sequestraram. 

A adolescente só foi encontrada horas mais tarde em uma área de mata no bairro Puraquequara, Zona Leste de Manaus.

Segundo a vítima, ela só conseguiu sobreviver porque disse aos bandidos que estava grávida. Ainda segundo ela, o mandante do crime seria o ex-namorado, que é ligado a uma facção criminosa.

A adolescente foi atingida com um tiro na nuca. No entanto conseguiu sobreviver e foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que o encaminhou para um hospital da capital.

Investigações

O delegado Luciano Calixto, titular do 27º Distrito Integrado de Polícia (DIP), informou que ao identificaram o suspeito, foi solicitado um mandado de prisão.

“No decorrer das investigações, conseguimos localizar o Andrey, que foi identificado como principal autor do crime. Na ocasião, ele fez o disparo contra a vítima. Diante disso, solicitamos um mandado de prisão e foi cumprido”, disse Calixto.

Ainda segundo a autoridade, outros quatro suspeitos estão foragidos e não foram identificados ou presos.

“O delito ainda segue sobre investigação, possivelmente nos próximos dias conseguiremos prender os demais integrantes do grupo”, explicou.

Djeime foi preso em sua própria casa na rua 46, no conjunto Mutirão, bairro Novo Aleixo, Zona Norte da capital. A ordem judicial foi expedida três dias após o homicídio pela juíza Carren Aguiar Fernandes, da Central de Plantão Criminal.

Motivação

Durante coletiva de imprensa, nesta manhã de quarta-feira (4), o delegado Calixto informou que Andrey e os integrantes do grupo, acreditavam que a vítima [Rayssa] estaria repassando informações para facções rivais, no qual seu atual namorado faz parte. 

Contudo, conforme a vítima o real motivo teria sido por ciúmes, devido ela ter terminado o relacionamento com Andrey e ter assumido uma nova relação com outro jovem, que é integrante de uma facção rival.

No mesmo dia (21) do fato, durante a madrugada, William Lima de Castro, de 37 anos, que era padrasto do atual namorado de Rayssa foi morto dentro da casa dele, situada no bairro Novo Aleixo, Zona Norte da cidade.

*Com informações da assessoria