Fonte: OpenWeather

    Estupro de Vulnerável


    Indígena de 9 anos reza em voz alta, mas é estuprada pelo pai no AM

    O suspeito foi dormir na casa da ex-companheira dele e chamou a vítima para dormir com ele

     

    O homem foi indiciado por estupro de vulnerável
    O homem foi indiciado por estupro de vulnerável | Foto: Divulgação

    São Gabriel da Cachoeira - Um indígena de 38 anos foi preso, na manhã desta segunda-feira (10), por abusar sexualmente da própria filha, uma criança de nove anos. O crime aconteceu em São Gabriel da Cachoeira (distante 852 quilômetros em linha reta da capital). 

    No dia do crime, o homem, que mora na região da reserva indígena Maturacá, foi dormir na casa da ex-companheira dele, uma mulher de 34 anos. Ele chamou as filhas, a criança de nove anos e uma adolescente de 12 anos, para dormirem com ele.

    A delegada Grace Jardim, titular da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) do município, informou que o crime aconteceu no mês de janeiro deste ano. Ela explicou que a adolescente, conseguiu sair do quarto, mas a criança permaneceu no cômodo da casa com ele.

    “A ex-companheira do suspeito permitiu que ele dormisse na casa dela, após ser ameaçada de morte por ele, visto que o mesmo também responde por violência doméstica contra ela. Na noite do crime, o homem, que é indígena, aliciou a menina de nove anos, porém, ela começou a rezar em voz alta no momento em que ele tentou tirar o short dela. Após tomarmos conhecimento do caso e solicitarmos os exames, que deram positivos, representei pela prisão preventiva dele”, disse a delegada.

    Ainda segundo a titular da DIP de São Gabriel da Cachoeira, o autor foi preso quando tentava fugir da cidade. A ordem judicial em nome dele foi expedida no dia 23 de janeiro deste ano, pelo juiz Manoel Átila Araripe Autran Nunes, da Vara Única da Comarca de São Gabriel da Cachoeira. O mandado de prisão preventiva em nome do suspeito foi cumprido por volta das 10h de ontem. 

    Procedimentos

    O homem foi indiciado por estupro de vulnerável, ele vai responder, também, por ameaça e violência doméstica. Ao término dos trâmites cabíveis, ele vai ficar custodiado na delegacia, à disposição da Justiça.

    *Com informações da assessoria