Fonte: OpenWeather

    Ameaça


    Homem que ameaçava policiais morre em troca de tiros em Manaus

    Além de ameaçar o delegado da Derfv, o homem roubava carros e estuprava mulheres

    Henock foi socorrido pelo SPA Zona Sul porém não resistiu aos ferimentos
    Henock foi socorrido pelo SPA Zona Sul porém não resistiu aos ferimentos | Foto: Arquivo/PCAM

    Manaus - Um homem identificado como Henock Silva Carvalho, de 34 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (12), na rua Branco e Silva, bairro Santa Luzia, Zona Oeste de Manaus, durante troca de tiros com policiais civis da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv).

    Durante a ação, um policial da Derfv foi alvejado no colete e revidou aos disparos, atingindo o autor. Henock ainda chegou a ser socorrido e levado ao SPA da Zona sul, mas não resistiu aos ferimentos. Já o policial deu entrada na unidade de saúde com trauma leve na região das costelas, mas passa bem.

    Passagem pela polícia

    O suspeito era procurado pela polícia desde outubro do ano passado. Henock chegou a usar a foto do titular da DERFV, Cícero Túlio, no próprio perfil de WhatsApp, e mandava mensagens para o disque denúncia da delegacia desafiando a atuação dos policiais todo mês.

    Henock estava foragido desde trocar tiros com a polícia em outubro do ano passado
    Henock estava foragido desde trocar tiros com a polícia em outubro do ano passado | Foto: Divulgação

    Conforme informações de Cícero Túlio, na ação, Henock e outros suspeitos atiraram contra os policiais da especializada no bairro Jorge Teixeira. O grupo planejava roubar um comerciante de calçados. Eles estavam em um carro roubado, que foi recuperado.

    O autor respondia a vários processos criminais e desde novembro tinha um mandado de prisão preventiva em razão de ter encomendado os roubos de vários veículos em Manaus.

    Estupro de vítimas

    O titular da Derfv afirmou que após roubar, o suspeito estuprava as vítimas. Henock, por meio dos números de telefone dos celulares roubados, entrava em contato com os familiares e pessoas do convívio da vítima para exigir uma determinada quantia em dinheiro alegando a devolução do veículo.

    “ Ele pegava os contatos telefônicos dos celulares roubados das vítimas e passava a ligar para familiares exigindo uma quantia em dinheiro. Mas o veículo nunca era devolvido. Inclusive, ele fazia filmagens do veículo falando que iria devolver, mas isso não acontecia”, comentou Cícero.

    Henock usava a foto do delegado no perfil do WhatsApp para fazer as ameaças
    Henock usava a foto do delegado no perfil do WhatsApp para fazer as ameaças | Foto: Kennedson Paz

    Quadrilha presa

    Outros integrantes da quadrilha de Henock foram presos em 2019. Michel de Souza Moraes, um dos suspeitos do grupo, foi preso ano passado após manter seis pessoas de uma mesma família reféns na comunidade Fazendinha, bairro Cidade Nova.

    Segundo a polícia, a quadrilha era extremamente violenta, e conforme a Derfv roubaram aproximadamente seis carros nos últimos meses.