Fonte: OpenWeather

    Caso Erlon


    Padrasto de Erlon é apreendido por divergência em depoimento

    O adolescente afirmou à polícia que havia saído com a mãe da criança e deixado Erlon com a irmã de apenas 12 anos

    Após sete dias, Erlon continua desaparecido
    Após sete dias, Erlon continua desaparecido | Foto: Reprodução

    Manaus – O padrasto do menino Erlon Gabriel, desaparecido desde o dia 6 de fevereiro, foi apreendido pela polícia na quarta-feira (12). Ele tem 17 anos e, de acordo com a polícia, o adolescente tem passagens por participação em um latrocínio (roubo seguido de morte), em 2018, e roubo a um motorista de aplicativo.

    A motivação da apreensão foi a divergência de informações da mãe da criança e do adolescente. A versão contada pela mãe diz que Erlon estava brincando na frente da casa da família, localizada na rua 7, comunidade União da Vitória, no bairro Tarumã-Açú, Zona Oeste de Manaus.

    Já o adolescente afirmou para a polícia que havia saído com a mãe da criança e deixado Erlon com a irmã de apenas 12 anos.

    De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), a mãe do menino não está sendo investigada pelo desaparecimento dele e, até o momento, nenhum suspeito foi preso.

    A polícia investiga a veracidade das informações, pois há várias versões sobre o caso, entre elas de que um carro modelo Gol, de cor preta, havia levado o menino no dia do desaparecimento.

    O caso continua sendo investigado e diligências estão sendo realizadas para identificar e localizar os envolvidos.